terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Fatalidade! Jovem gravou áudio antes de morrer no RJ: 'Acho que estou meio perdido'

Jovem morreu ao se perder durante passeio que iria até a Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/Facebook)

Acreano morreu em um acidente na Linha Amarela, no Rio de Janeiro. Mãe tenta resolver burocracia para levar corpo para Rio Branco.


Ainda muito abalada com a perda do estudante de arquitetura e urbanismo, Wanderson Nascimento, de 21 anos, a prima da vítima, Ágatha Inara, de 27 anos, conta que o jovem chegou a mandar áudio para avisar que estava perdido e voltaria para a casa. Nascimento foi encontrado morto após sofrer um acidente de moto na Linha Amarela, no RJ, na altura do pedágio, na madrugada de sábado (18). Em um áudio de 30 segundos, o estudante conta que foi parado em uma blitz e acabou se perdendo. "Então, na verdade, eu tô no caminho. A polícia parou e aí fui liberado, passei quase 30 minutos lá, fui liberado e aí me atrasei um pouco. Eu não sei onde é a Pedra da Gávea aqui, acho que estou meio perdido. Eu vou acabar é voltando pra casa", diz. (Ouça o áudio abaixo)


Antes do corpo ser encontrado,familiares e amigos chegaram a fazer campanha porque o jovem estava desaparecido. O corpo foi encontrado nesta segunda-feira (20). De acordo com a família, o estudante havia marcado um passeio com um grupo de amigos para a Pedra da Gávea, mas se perdeu e sofreu o acidente ao tentar voltar para casa. "Ele era um rapaz tranquilo. Não tinha conhecimento de como andar no Rio, pois, nesses 3 anos ele ficava mais por Niterói mesmo. O que sabemos é que ele estava participando desse grupo de passeio há mais ou menos uma semana. O único amigo dele que conhecíamos desistiu de ir de última hora, mas foi através dele, que também estava nesse grupo de WhatsApp, que conseguimos chegar até outras pessoas", conta. O amigo conseguiu o contato com a líder do grupo, que contou que ele havia avisado que tinha se perdido. "Ela disse que ele tinha mandado um áudio dizendo que tinha se atrasado para o ponto de encontro, que seria em uma praça, por conta de uma blitz e disse que iria voltar para casa", relata. Na tentativa de voltar, o acidente aconteceu, acredita a família. De acordo com a prima, a moto de Nascimento bateu contra um veículo e a moto do estudante explodiu com o impacto. "No áudio, ele está falando bem tranquilo. Acredito que tenha ficado perdido", destaca. O estudante estava morando em Niterói há cerca de 3 anos, quando foi visitar uma prima e conseguiu uma bolsa na Faculdade Anhanguera, onde estudava arquitetura e urbanismo. Ele também trabalhava em uma empresa de telemarketing.

Wanderson Nascimento morava no Rio de Janeiro há 3 anos (Foto: Reprodução/Facebook)


A mãe de Nascimento, Hosana Amorim, chegou ao Rio de Janeiro no domingo (19). A prima conta que ela se desesperou ainda no sábado, porque havia se confundido com as datas e não conseguiu avisar ao filho. "Primeiro, ela disse que chegaria aqui sábado. Mas, tinha se confundido nas datas e não conseguiu avisar pra ele que, na verdade, chegaria no domingo. Ele estava muito ansioso pela chegada dela e quando viu que ele não estava no aeroporto, enlouqueceu, porque sabia que ele não deixaria de buscá-la de forma nenhuma", relembra. Despedida - Ágatha chegou em Niterói há 11 dias e estava hospedada na casa do estudante. Ela conta que, na noite do desparecimento, estava na casa de uma amiga, próximo de onde Nascimento morava. "Ele saiu daqui meia-noite. Como eu estava na casa de uma amiga, ele veio deixar a chave pra mim, mas ele tinha uma cópia. Daí, ele disse que ia em casa tomar um banho pra sair. Ele ainda disse: 'prima, não vou te chamar porque a acessibilidade é difícil'. Eu disse que estava tudo bem e ele foi", relembra. O estudante e a mãe se falavam todos os dias. A prima conta que Hosana está muito abalada e tentando unir forçar para resolver a burocracia e levar o corpo para Rio Branco, onde a família mora. "A mãe dele ficou desesperada e até agora está muito aflita pensando em como vai chegar com o corpo em Rio Branco. Nossa família tinha acabado de perder outra pessoa querida. Um primo meu também teve morte cerebral na sexta [17] e na segunda [20] tivemos a notícia da morte do Wanderson. A família está muito abalada", diz emocionada. Burocracia Com a ajuda de amigos, a mãe está resolvendo o processo de translado. Ágatha diz que a família ainda não sabe quando o corpo deve chegar à capital do Acre, mas alega que estão recebendo ajuda de amigos do Rio e também do Acre. "A mãe dele voltaria comigo no dia 2 de março, agora ela vai quer antecipar a volta e eu também quero estar com ela e ir junto", finaliza.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers