sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Crise hídrica na Bahia: Gerente da Embasa anuncia racionamento de água em Capim Grosso

  racionamento de água em Capim Grosso
Crise hídrica na Bahia: Gerente da Embasa anuncia racionamento de água em Capim Grosso

E o governo o que tem feito pra amenizar a crise?


Paulo, gerente da Embasa, Capim Grosso, em entrevista a uma rádio local na última quarta-feira, 01, falou dos problemas enfrentados na última semana no tocante ao abastecimento de água da cidade, por conta do fornecimento de energia que foi interrompido em alguns momentos, tendo como resultado dificuldades para ajustar o abastecimento, que segundo o gerente está em quase 100% em toda a cidade. Paulo explicou que a Embasa trabalha com sistemas integrados, citando como exemplo, o sistema de Capim Grosso, com o sistema da adutora do Sisal, um depende do outro para o abastecimento fluir normalmente, caso contrário a população não será atendida na sua totalidade e fez um alerta para toda a população da região, por conta da baixa na quantidade de água da Barragem de Pedras Altas, fonte que fornece água para 22 localidades da Adutora do Sisal, com um público estimado de 250 mil pessoas, uma campanha praticamente em todos os sistemas da região norte do estado será desenvolvida pela Embasa, com o objetivo de conscientizar a população a usar água com responsabilidade, caso contrário poderemos ter problemas. A barragem de Pedras Altas está situada na bacia hidrográfica do Rio Itapicuru, junto ao Distrito de Pedras Altas. A obra foi realizada pela Cerb e concluída em 2001. Tem uma extensão de 1.110 m por 23 m de altura. Ela foi concebida tendo um extravasor no trecho central em concreto compactado a rolo e fechamento lateral das ombreiras com maciço de terra, além de torre de tomada d´água, casa de controle e galeria de descarga de fundo, a sua capacidade é de 36 milhões de metros cúbicos de água, por conta da estiagem, atualmente com cerca de 12 milhões de metros cúbicos de água, uma diferença que tecnicamente sinaliza preocupação, frisou o gerente. Sobre a questão do uso consciente dos recursos hídricos por cada cidadão que impliquem na economia deste recurso tão precioso, assegurando a maior durabilidade possível da água disponível na Natureza, independentemente da quantidade de chuvas, do número de habitantes locais ou da expectativa de existência de alternativas tecnológicas, estará sendo garantido o futuro de outras gerações. Outra informação passada pelo gerente girou em torno da barragem localizada no Rio Jacuípe, no limítrofe dos municípios de Jacobina e Mairi. Construída na década de 80 pela Cerb. Altura máxima de 41,0 m por 1.560m de comprimento. Na época, ela construída para atender à irrigação, abastecimento humano, piscicultura, pecuária e perenização do rio que lhe dá o nome ao longo de uma extensão de 180km, até a sua confluência com o Paraguaçu, com capacidade para 360 milhões de metros cúbicos de água, atualmente com cerca de 42 milhões de metros cúbicos de água. Paulo falou ainda sobre o sistema de abastecimento da zona rural, com registros na casa de 250 km de rede envolvendo os municípios de Capim Grosso, Caém e Jacobina. Quanto ao número de ligações em Capim Grosso, sede, São José do Jacuípe, Itatiaia, Várzea do Meio, Pereira e Riacho da Onça, o escritório com sede em Capim Grosso registra em torno de 18 mil ligações. Por fim, falou sobre a qualidade da água que chega cair muitas vezes na torneira com tom bem diferente e com mau cheiro. “Esse problema acontece muitas vezes por alguma ponta de rede, situação essa que é resolvida com descargas periódicas na rede. O cidadão que registrar essa situação na sua casa deve manter contato com a Embasa, no 3651-1414, para os devidos procedimentos”, concluiu Paulo. Texto: Arnaldo Silva – DRT - 2805.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers