sábado, 17 de dezembro de 2016

Janot pode pedir suspeição de Dias Toffoli na operação Custo Brasil

Janot pode pedir suspeição de Dias Toffoli na operação Custo Brasil

PGR

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode pedir o afastamento do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), das investigações relacionadas à Operação Custo Brasil, de suposto pagamento de propinas ao ex-ministro petista Paulo Bernardo (Planejamento e Comunicações) e sua mulher, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). A Polícia Federal encontrou mensagens de celular que indicam uma “amizade íntima” entre o ministro do STF e Carlos Gabas, um dos investigados. A amizade pode ferir a imparcialidade na magistratura. De acordo com o jornal Estado de São Paulo, a documentação, mantida em sigilo, foi enviada na semana passada pela Procuradoria da República em São Paulo ao gabinete de Janot. Não há prazo para que o procurador-geral tome uma decisão sobre o caso. As comunicações mostram que Toffoli e Gabas marcavam encontros fora do expediente e combinavam eventos sociais, até mesmo um churrasco, o que chamou a atenção da Procuradoria. A presidente do Supremo, Cármen Lúcia, também foi oficiada. Janot pode pedir o arquivamento do caso ou arguir a suspeição do ministro. Se o ministro entender que não há impedimento e continuar participando de julgamentos do caso, caberá ao plenário do STF decidir o afasta ou não. A operação Custo Brasil é um desdobramento da operação Lava Jato, para apurar uma movimentação de R$ 100 milhões por meio de contrato com a Consist Software, que gerenciava o sistema de concessão de empréstimos consignados a servidores públicos. Paulo Bernardo é acusado de receber R$ 7 milhões de suborno da empresa, repassado por meio de um escritório de advocacia ao qual é ligado. A banca também pagaria despesas eleitorais de Gleisi, que é investigada perante o Supremo em inquérito sob relatoria de Toffoli.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers