quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

6 dias de escuridão na Terra! Isso vai acontecer mesmo?

Na mensagem que está circulando pelas redes sociais, especialmente no Facebook, a informação é de que "o chefe da Nasa, Charles Bolden, que fez o anúncio, pediu a todos que mantenham a calma. Este será o produto de uma tempestade solar, a maior dos últimos 250 anos, por um período total de 216 horas". Porém, como de costume quando se trata de notícias apocalípticas, esse "blecaute" não passe de uma mentira. Como mostra o site brasileiro E-Farsas, especializado em desbancar boatos da internet, essa informação de que um suposto eclipse deixaria a Terra sem luz solar por seis dias foi originalmente publicada em 2014 no blog inglês de humor Huzlers. Quem observa o rodapé da página desse blog satírico já entende qual a função deles: "Huzlers.com é site mundialmente conhecido por seu entretenimento falso e de sátira. Se é tendência em mídias sociais, você vai encontrar aqui". Além dessa prova incontestável de que o texto traduzido do falso eclipse foi apenas "atualizado" para que o "fenômeno" ocorresse em 2016, ao invés de 2014, na época em que o boato estava mais forte na internet, a própria Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) usou a área de "Perguntas e Respostas" de seu site oficial para esclarecer os cidadãos. "Nasa ou nenhuma outra organização científica está prevendo um blecaute dessa magnitude. As notícias falsas dizem que uma espécie de 'alinhamento no Universo' será responsável pelo blecaute. Não existe esse alinhamento. Outras versões citam uma mensagem de emergência do administrador da Nasa Charles Bolden. Porém, essa mensagem dele era apenas uma forma de encorajar as pessoas a estarem preparadas em situações de emergência, gravada para uma campanha governamental maior, sobre como agir em urgências. Nunca foi mencionado um blecaute", informa a Nasa, no texto de 2014.

As mentiras da internet pra assustar as pessoas e ganhar seguidores


A internet nos trouxe coisas maravilhosas, especialmente o poder de se comunicar com o mundo e de obter informações. Porém com todos esses benefícios, um lado muito ruim da internet aflorou, especialmente nas mãos de desocupados e demagogos que só querem sensacionalismo ou manipular pessoas. E não é só na política que vemos muita mentira nas redes. Em especial com o florescer do WhatsApp a coisa ficou ainda pior. Vimos isso há pouco tempo, com as mentiras que assustava o povo sobre os palhaços assassinos ou sobre criminosos que chegavam nas casas sequestrando crianças e esquartejando. Milhares de áudios circulavam pela rede, com homens e mulheres de vozes chorosas, alguns dizendo que trabalhavam em delegacia outros citando nomes de pastores, padres ou delegados, pra dar mais veracidade a sua mentira na rede. Bem, no que se refere a religião é a mesma coisa. Está cheio de audios de fiéis chorando, contando visões, falando de vozes que anunciam o fim do mundo e contando milagres. Tudo descontrole causado pela fanatismo religioso e sensacionalismo pra ganhar compartilhamento na rede social e ganhar seguidores. No Twitter todo dia temos hashtags alertando "Jesus está voltando", tudo marketing de igrejas e religiosos...

A última agora, que se espalhou pela web, onde as pessoas recebem emalis incessantes e sites religiosos replicam sem a menor responsabilidade, é sobre uma tal "escuridão de 6 dias", alegando que a "Nasa teria confirmado profecias bíblicas". Balela. Nem a Nasa tem poder pra isso, nem a Bíblia fala em datas. Pelo contrário, o que as Escrituras deixam claro é que ninguém saberá o dia e nem a hora! Além disso, pra acontecer uma escuridão nessas proporções só por causas sobrenaturais enormes e não com tempestades solares. Vamos aos fatos:

O tal "alerta" da NASA teria sido divulgado numa conferência ocorrida no meio de outubro. Nesse comunicado, cientistas da agência espacial americana estariam alertando para a ocorrência de uma tempestade solar violenta que lançaria uma gigantesca nuvem de poeira sobre a Terra. Com isso, entre os dias 16 e 22 de dezembro, a Terra estaria imersa em profunda escuridão.

No entanto, nenhuma tempestade solar causa a formação e muito menos o lançamento de poeira. Existem episódios de Ejeção de Massa Coronal (CME em inglês) quando o Sol libera uma pequena nuvem de gás para o espaço, mas o gás não tem poeira, não produz poeira e mesmo que atinja a Terra, não escurece o céu. Tanto a matéria ejetada pelo Sol numa CME, quanto a radiação emitida numa explosão solar são barradas pelo campo magnético da Terra ou pela alta atmosfera, que atuam como um escudo. Nada disso vai causar qualquer efeito na superfície, ou seja, nenhuma chance de um evento desses levantar a poeira do solo para produzir a escuridão citada.

Outra coisa, para percorrer a distância entre o Sol e a Terra em 2 meses, de acordo com o alerta, a tal nuvem de poeira teria que se deslocar a uma velocidade de 28 km/s. Isso não é nada em termos do vento solar, que tem valores médios de 400 km/s. Com uma velocidade tão baixa é provável que essa nuvem nunca se desprendesse do Sol, seja ela composta de poeira, de gás ou de qualquer coisa. Para se libertar da atração gravitacional do Sol qualquer coisa precisa ter uma velocidade mínima de 618 km/s. De argumentos científicos já está bem explicado, mas se alguém tiver a curiosidade de fuçar mais um pouco e chegar no site que publicou o tal alerta vai ver coisas interessantes. Os caras se embananam na hora de converter o número de dias e as horas correspondentes que vai durar o período de escuridão. Fazendo as contas, dá 3 dias, depois dá 9 dias e o anúncio fala em 6. Perdido num cantinho tem uma nota dizendo que o site é "uma combinação de uma notícia chocante real e entretenimento satírico para manter os visitantes em estado de descrença." Sem falar no fato que esse "alerta" já foi dado em 2011, foi requentado para o fim do mundo em 2012 e voltou agora em 2014.

Talvez esse boato tenha sido re-requentado por causa de uma notícia, verdadeira, a respeito do Sol. Por esses dias, foi muito comentado o surgimento de uma gigantesca mancha solar. Chamada de AR 2192, a mancha tem aproximadamente o tamanho de Júpiter! Em condições favoráveis, seja com o uso de filtros apropriados, ou naquelas horas do por do Sol em que ele fica bem vermelho, já próximo do horizonte, a mancha podia ser vista a olho nu. Essa foi a maior mancha solar já registrada desde 1990!



O Sol tem um ciclo de atividade magnética bem conhecido com um período de mais ou menos 11 anos, alternando períodos de máximos e mínimos. Esse períodos podem ser verificados através do número de manchas solares, por exemplo. Mas os últimos ciclos têm sido muito esquisitos, o Sol parece que não está seguindo o roteiro. As manchas solares são região ativas do Sol e podem proporcionar eventos violentos, como eventos rápidos e violentos de alta energia e CMEs, mas em nenhum dos casos há formação ou ejeção de poeira. Uma região ativa como a AR 2192 poderia ter causado uma tempestade magnética e tanto, tivesse ela sofrido uma erupção violenta. Nas aqui na Terra não seríamos afetados diretamente, como eu já falei, o campo magnético terrestre e a atmosfera nos blindam desses eventos, mas certamente sentiríamos os efeitos dessa explosão de modo indireto.

Nossa vida é profundamente dependente de equipamentos elétricos e eletrônicos. Uma tempestade magnética muito intensa colocaria em risco os satélites em órbita da Terra. Sempre que há algum risco em potencial, alguns satélites são colocados em hibernação, desligando todos os sistemas não vitais para tentar preservar a eletrônica. Os telescópios espaciais fazem isso sempre. Mas alguns satélites não podem se dar ao luxo disso, como os satélites de comunicação e os de GPS. Num evento muito energético, como uma explosão de classe X que esteja voltada diretamente para a Terra, correríamos o sério risco de ficar sem comunicação via satélite e perderíamos o posicionamento via GPS. Mais do que bagunçar a procura por aquele restaurante bacana escondido em uma ruazinha perdida na sua cidade, aviões e plataformas de petróleo ficariam literalmente à deriva. Até mesmo comunicações via rádio de alta frequência seriam afetadas, causando um blecaute em rádio. Estações e redes de transmissão de eletricidade em países muito ao norte ou ao sul do planeta poderiam ser danificadas.

Em julho de 2012 aconteceu uma super tempestade solar, a maior em 150 anos. A nuvem de matéria ejetada pela CME passou muito perto da Terra, mas não a atingiu. De acordo com um estudo publicado por Daniel Baker da Universidade do Colorado em dezembro de 2013, se essa CME tivesse atingido a Terra, estaríamos juntando os cacos até hoje! Muito provavelmente teríamos perdido uma boa pare dos satélites de comunicação e até mesmo a internet teria sido derrubada. Felizmente a AR 2192 já está fora da nossa linha de visada e já não oferece nenhum risco. Em poucos dias, por causa da rotação do Sol, ela vai para a parte de trás dele e deixará de ser vista. Como o período de rotação do Sol é de 25 dias, no final de novembro vamos ver se a AR 2192 ainda se mantém, mas o certo é que nem ela, nem outra mancha vai fazer a Terra imergir em um período de escuridão total. Avisa lá o seu colega que está espalhando o boato que ele pode ficar tranquilo!

Elite Global está se Preparando Para o "Fim do Mundo" em Setembro de 2017? | Lendas Sinistras

  


Fonte de informações dessa matéria: g1.globo. com/ciencia-e-saude/blog/observatorio/ 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers