terça-feira, 15 de novembro de 2016

O baiano Aroldo Cedraz na mira da Poícia Federal que pede a quebra de sigilo bancário e fiscal de presidente e ministro do TCU

  presidente e ministro do TCU
O presidente do TCU, Aroldo Cedraz | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Quebra de sigilo

A Polícia Federal pediu a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz, e do ministro Raimundo Carreiro. Eles são investigados por conta de suspeitas de corrupção envolvendo o filho de Aroldo, o advogado Tiago Cedraz. De acordo com a revista Época, o dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, disse em delação premiada que Tiago seria o intermediário no repasse de propina para o ministro Raimundo Carreiro. O empreiteiro admitiu ter pago R$ 1 milhão ao advogado, em parcelas de R$ 50 mil. A quebra do sigilo telefônico do escritório de Tiago revelou que ele fez 49 ligações para números da UTC, incluindo Ricardo Pessoa. As datas das ligações coincidem com os dias de repasse de dinheiro citados pelo empreiteiro. A empreiteira tem processos de seu interesse no TCU. O advogado de 34 anos chamou atenção por conta do rápido crescimento na carreira profissional. A PF descobriu despesas como R$ 500 mil na festa de casamento e R$ 190 mil em uma BMW de presente para a esposa.

A dieta de Aroldo Cedraz

Feijoada indigesta


A PF deveria pedir a quebra de sigilo fiscal e bancário de todos o presentes na feijoada de sábado, na qual os convivas tramaram contra a Lava Jato.


Alvo do pedido da PF para quebra dos sigilos fiscal e bancário, Aroldo Cedraz estava presente na feijoada de sábado que Renan Calheiros ofereceu a Michel Temer, José Sarney, Edison Lobão, Moreira Franco, Eunício Oliveira, Bruno Dantas, Vital do Rêgo e Rodrigo Maia.

O suposto ministro


Há cerca de um ano, Aroldo Cedraz censurou O Antagonista no clipping produzido para os integrantes do TCU.
Ele gostava mesmo é de supostos jornalistas.
Aroldo Cedraz é um suposto ministro.

Por que Tiago Cedraz está solto?


Apesar de investigado na Lava Jato, Tiago Cedraz continua atuando no mercado sem ser amolado por ninguém.
Ele tem usado seu escritório para organizar seminários no exterior. Nessas viagens, é visto acompanhado de ministros do STJ e do STF. Os seminários são organizados em parcerias com fundos de investimento.
Além de seminários, Tiago poderia organizar palestras.



Reunião de Pauta: Vazamentos com foco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers