sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Crise do Governo: Oposição defendem impeachment de Temer após depoimento de Calero

  impeachment de Temer após depoimento de Calero
Foto: Fernando Duarte / Bahia Notícias

Deputados e senadores da oposição reagiram ao vazamento de informações do depoimento prestado à Polícia Federal do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero. Com base nas informações divulgadas, eles pedem o impeachment do presidente Michel Temer por tentar “enquadrar” o agora ex-ministro por não atender a um pedido de Geddel Vieira Lima, ministro da Secretaria de Governo. Calero acusou o presidente de tê-lo pressionado a solucionar o entrave do prédio La Vue, em Salvador, que teve uma licença cassada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) por ter mais andares previstos do que o permitido para uma área tombada. Segundo a Folha de S. Paulo, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) acusou Temer de usar a presidência para atender a interesses privados. "Absurdo. No nosso entendimento, Temer vai ter que responder processo por crime de responsabilidade para ser julgado pelo Congresso", criticou. O petista já se reuniu com a assessoria jurídica do partido e prometeu protocolar o pedido de impeachment nos próximos dias. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também acredita que a situação é motivo para o afastamento do presidente. "Se isso não for razão para impeachment, nada mais é. O presidente da República se envolveu diretamente em um negócio ilícito e privado de um ministro seu. Eu vou propor para a oposição que apresente pedido de impeachment do Michel Temer. Isso é crime de responsabilidade na veia", avaliou. Na Câmara , o deputado federal Jorge Solla (PT-BA), autor dos requerimentos para convocar Geddel e convidar Calero a prestarem depoimentos, disse que vai acionar a Procuradoria-Geral da República (PGR). "É um presidente da República pressionando um ministro para atender interesses patrimoniais de outro ministro. É muito grave", afirmou Solla. "Se já era uma coisa complicada, não só ilegal, mas escandalosa a postura de Geddel, isso partindo de um presidente, mesmo sendo golpista, tem que ser rechaçado", completou.

Foto: Beto Barata/PR

Porta-voz diz que Temer 'jamais induziu' ministros a tomar decisão que ferisse normas

O porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, divulgou comunicado na noite desta quinta-feira (24) defendendo o presidente Michel Temer das acusações feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero. Em nota, Parolo argumenta que o presidente trata todos os ministros como iguais e "jamais induziu algum deles a tomar decisão que ferisse normas internas ou suas convicções". O porta-voz também relata que Temer conversou duas vezes com Calero "para solucionar impasse na sua equipe e evitar conflitos entre seus ministros de Estado". Em depoimento à Polícia Federal o ex-ministro da Cultura relatou que foi pressionado por Temer durante reunião na última quinta-feira (17) para liberar a construção do empreendimento La Vue, no bairro da Barra (veja mais). Ele disse em audiência que Temer o "enquadrou" para encontrar uma "saída" para a obra de interesse do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. O porta-voz da Presidência da República classifica a afirmação como "estranha", pois "sempre endossou caminhos técnicos para solução de licenças em obras ou ações de governo". No comunicado Parolo também relata que causam surpresa os boatos que Calero tenha convocado uma segunda audiência para a última quinta-feira (17) "somente com o intuito de gravar clandestinamente conversa com o presidente da República para posterior divulgação".

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

'Esse Calero enlouqueceu', diz Rodrigo Maia sobre acusações contra Michel Temer


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) refutou as acusações do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, contra o presidente Michel Temer. Em entrevista à Folha de S. Paulo, Maia disse que não acredita que Calero tenha sido pressionado por Temer para viabilizar a construção do empreendimento La Vue, no bairro da Barra, em Salvador. "Esse Calero enlouqueceu. Michel não faz isso. Não acredito, não é perfil do Michel", declarou. Em depoimento à Polícia Federal o ex-ministro da Cultura relatou que foi pressionado por Temer durante reunião na última quinta-feira (17) para liberar a construção do empreendimento La Vue, no bairro da Barra. Ele disse em audiência que Temer o "enquadrou" para encontrar uma "saída" para a obra de interesse do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. O porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, defendeu o presidente, argumentou que Temer trata todos os ministros como iguais e "jamais induziu algum deles a tomar decisão que ferisse normas internas ou suas convicções". O porta-voz também relata que Temer conversou duas vezes com Calero "para solucionar impasse na sua equipe e evitar conflitos entre seus ministros de Estado".

BOMBA !Temer é delatado a PF por Calero Ex-ministro da cultura. Deu nojo o golpe nas dez medidas.

  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers