sábado, 27 de maio de 2017

Delação premiada da JBS: "Não sou favorável a uma revisão prematura" do acordo com Joesley



Advogado criminalista responsável pela negociação das delações premiadas das construtoras Câmargo Corrêa e da Andrade Gutierrez, o professor da FGV-SP Celso Vilardi disse ao Globo que ainda é cedo para se debater a homologação e os efeitos da colaboração dos irmãos Batista, da JBS, na Lava Jato.
"Acordos de colaboração e leniência devem ser dilatados em função daquilo que o colaborador trouxe para o Estado. Isso só pode ser verificado mais adiante. Por isso, não sou favorável a uma revisão prematura."
Para Vilardi, segundo o jornal, a revisão só faria sentido caso se verifique que os delatores entregaram menos informações do que prometeram ou se fatos listados não se mostram “absolutamente comprováveis”.
De resto, a homologação das delações de executivos limita-se a aferir a “regularidade, a voluntariedade e a legalidade do acordo, sem que ocorra juízo de valor a respeito das declarações do colaborador”.
Foi justamente o que o ministro do STF Edson Fachin alegou para rebater as críticas que vem sofrendo após a delação de Joesley Batista.
Segundo a Coluna do Estadão, Fachin disse, "entristecido", que cabe ao Supremo analisar questões formais e não o conteúdo da denúncia.

A DELAÇÃO DA JBS É TUDO ISSO?

Áudio expõe bronca de Aécio Neves em Zezé Perrella

  Aécio em Perrella


“Olhe, poucas vezes eu vi uma declaração tão escrota”.
Foi o que disse Aécio Neves (PSDB-MG) a Zeze Perrella (PMDB-MG), em telefonema de 13 de abril, interceptado pela Polícia Federal na investigação do caso da JBS.
Motivo: Perrella havia afirmado à rádio Itatiaia que o Brasil atravessava um "mar de lama" e acordava "estarrecido" com a lista de investigados decorrente da delação da Odebrecht. (O Antagonista)

STF: Ministro Barroso é contra mudar termos de delação homologada


"Uma vez homologada, a delação deve prevalecer sem nenhum tipo de modificação futura". Foi o que disse o ministro do STF Luís Roberto Barroso à Folha. "A delação só faz sentido se o colaborador tiver a segurança de que o acordo feito será respeitado. Se ela puder ser revista, em breve o instituto deixará de existir." Barroso se posicionou contra a mudança dos termos negociados pela PGR com o grupo JBS, de Joesley Batista, mas se absteve de comentá-los. "Não li o acordo, e portanto não tenho condições de opinar."

Luis Roberto Barroso massacra 'golpe' de Gilmar Mendes

Barroso: "A jurisprudência não pode ir mudando de acordo com o réu"


Luís Roberto Barroso se opõe à ideia de GIlmar Mendes de rever a decisão do STF que, por 6 votos a 5, determinou a prisão de réus condenados em segunda instância.
O Judiciário não pode servir como "um instrumento para perseguir inimigos e proteger amigos", disse Barroso, agora que a Lava Jato chegou a Michel Temer (PMDB) e Aécio Neves (PSDB). "A jurisprudência não pode ir mudando de acordo com o réu".
O Antagonista destaca as demais declarações do ministro à Folha sobre o tema:
"Você só muda a jurisprudência quando existe mudança na realidade ou na percepção social do direito. Não aconteceu nem uma coisa nem outra".
"É preciso mostrar às novas gerações que o crime não compensa e que o mal não vence no final. Será uma pena se o Brasil retroceder nisso".
"Voltar ao modelo anterior é retomar um sistema que pune os pobres e protege os criminosos que participam de negociatas com o dinheiro público".
"O risco de impunidade dos criminosos de colarinho branco continua real, e a percepção da sociedade é de que a Justiça precisa enfrentá-los com punições mais céleres".

Coorpin: Vaqueiro recebe R$ 1 mil para furtar rebanho de R$ 300 mil na Bahia


6ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior


Das 150 cabeças de gado, furtadas nas últimas semanas de fazendas de Itaju do Colônia e Santa Cruz da Vitória, policiais das Delegacias Territoriais (DTs), das duas cidades , já recuperaram, até esta quarta-feira (24), 84 delas, naquela que já é considerada a maior apreensão de gado realizada na região. Os animais furtados estão avaliados em R$ 300 mil e o volume já recuperado está custando aproximadamente R$ 168 mil. Em duas semanas de investigações, os policiais já descobriram que um vaqueiro, identificado pelo prenome de Maroaldo, teria recebido R$ 1 mil para subtrair as 150 cabeças. Ele está sendo procurado. De acordo com o delegado Miguel Cicerelli, titular da DT/Itaju, a operação conjunta da 6ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), com sede em Itabuna, batizada de Abigeato, continua até todos os animais furtados forem recuperados.



Bárbara Cruz a filha gostosa do Eduardo Cunha e Claudia Cruz atrai milhares de seguidores com vida de luxo

 milhares de seguidores com vida de luxo
Bárbara Cruz a filha gostosa do Eduardo Cunha e Claudia Cruz atrai milhares de seguidores com vida de luxo

Vida de puro luxo


Aos 19 anos, Bárbara Cruz da Cunha, filha de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e da jornalista Cláudia Cruz segue normalmente sua vida de luxo apesar da prisão do pai e do envolvimento da mãe na Lava Jato (ela foi absolvida apenas num dos processos). Em seu perfil no Instagram, a estudante de Publicidade e Propaganda compartilha fotos de looks e viagens, além de visitas a restaurantes sofisticados do Rio.

Filha de Eduardo Cunha e Claudia Cruz, Bárbara atrai milhares de seguidores com vida de luxo Foto: Reprodução Instagram
 Com quase 30 mil seguidores na rede social, Bárbara ou Babu, seu apelido, diferentemente dos três irmãos do primeiro casamento de Cunha mantém seu perfil aberto e faz questão de compartilhar inúmeros momentos com o namorado, o publicitário Pedro Annecchini Bleuler, sócio de quatro empresas do ramo de engenharia. A mãe coruja sempre comenta as publicações românticas da filha com corações e aplausos.
Filha de Eduardo Cunha e Claudia Cruz, Bárbara atrai milhares de seguidores com vida de luxo Foto: Reprodução Instagram
 Formada pela British School, Bárbara gasta seu inglês pelo mundo e nas legendas das fotos, mesmo quando come um mero sanduíche. Uma das viagens inesquecíveis da moça foi sua visita a Barbados, em 2015. Foi no Caribe que ela e a mãe encontraram paz, três meses após a citação de Cunha na Lava-Jato, em janeiro de 2015, e dele ir à CPI da Petrobras dizer que era inocente. A jovem sequer fica em cima do muro ao demonstrar orgulho do pai: “Homem da minha vida”.
Bárbara com blusa da grife Balmain, que não sai por menos de R$ 700 Foto: Reprodução Instagram

No dia 30 de março, data de condenação de Cunha a 15 anos de prisão, Bárbara esteve no restaurante Gurumê e postou a foto do belo prato Foto: Reprodução Instagram

Um dia antes de Cunha ser preso, em outubro, Bárbara Cruz da Cunha posta uma foto ao lado do namorado numa balada Foto: Reprodução Instagram

Bárbara Cruz da Cunha com o namorado, publicitário Pedro Annecchini Bleuler Foto: Reprodução Instagram

Bárbara Cruz da Cunha com o namorado, o publicitário Pedro Annecchini Bleuler Foto: Reprodução Instagram

Três meses após o pai ser citado, em 2015, Bárbara viajou com a mãe Cláudia para o Caribe. Enquanto isso, Cunha se dizia inocente na CPI da Petrobrás Foto: Reprodução Instagram

Três meses após o pai ser citado, em 2015, Bárbara viajou com a mãe Cláudia para o Caribe. Enquanto isso, Cunha se dizia inocente na CPI da Petrobrás Foto: Reprodução Instagram

Bárbara Cruz da Cunha se formou na British School Foto: Reprodução Instagram

Bárbara Cruz da Cunha no colo da mãe Cláudia Foto: Reprodução Instagram

Bárbara Cruz da Cunha com a mãe, Cláudia Foto: Reprodução Instagram

Bárbara Cruz da Cunha com a mãe, Cláudia Foto: Reprodução Instagram

Rei do tráfico em Jacobina caiu na mão da Coorpin e foi preso pela PRF e PM, no município de Capim Grosso


Xadrez do Crime


Um dos criminosos mais procurados pela polícia em Jacobina e região, e Rei do Tráfico no tabuleiro do Xadrez do Crime, foi preso com drogas na noite de ontem (25) na BR-324, no município de Capim Grosso. Elder é um dos líderes de uma quadrilha que atua na região e tinha mandados de prisão por crimes como homicídios e tráfico de drogas. O traficante foi preso durante uma operação conjunta entre a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Militar, em Capim Grosso. Com ele, os policiais encontraram 7 kg de pasta base de cocaína escondidas no banco de um carro. De acordo com a polícia, Elder comandava o tráfico de drogas no bairro Caixa D’água, em Jacobina, e lidera uma facção criminosa que atua em alguns bairros da cidade. O criminoso ordenou e executou vários homicídios na região. Ele havia entrado recentemente para o Xadrez do Crime da Polícia Civil de Jacobina. Agora, o Rei do Tráfico toma um xeque-mate da polícia e responderá pelos crimes na Justiça. Ao Jacobina Notícias, o delegado Dr. Eduardo Brito, que é coordenador da 16ª Coorpin, disse que o criminoso foi “flagranteado na delegacia de Jacobina e os mandados em abertos que haviam contra ele foram cumpridos”. Fonte: Jacobina Notícias



Duque anexa à delação detalhes de encontros com Lula e esquema de propina

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque detalhou os encontros com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o esquema de propinas envolvendo a Sete Brasil. As informações constam em pelo menos dois anexos de sua delação premiada, de acordo com a colunista Andréia Sadi, do G1. Duque detalha que o dinheiro de propina da Sete Brasil teria abastecido contas do PT, de José Dirceu e do próprio Lula. O ex-ministro Antonio Palocci teria gerenciado os valores desviados para o presidente na época em que estava no governo. A informação deverá ser confirmada por Palocci em delação. No outro anexo, o ex-diretor da estatal fala dos encontros com Lula, como o que ocorreu no hangar do aeroporto de São Paulo, em 2014. Lula confirmou o encontro disse que pediu a João Vaccari Neto que marcasse a reunião. Duque detalhou que o registro das passagens são os voos JJ 3929 e JJ 3944, ida e volta Rio-Congonhas. Uma fonte que optou por não se identificar afirmou à publicação que a versão de Lula, quem pediu o encontro no hangar após relatos na mídia de uma conta no exterior, será confrontada. Interlocutores de Duque sustentam que até a data do encontro não havia notícia consistente de conta no exterior pertencente ao ex-diretor. O delator acrescentou que o encontro ocorreu em 2 de junho de 2014.

Seca na Bahia: Agricultores falam sobre situação do Projeto de Irrigação de Ponto Novo

Agricultor Agenor

Na manhã desta sexta-feira (26) em entrevista ao repórter Felipe Fister, da Rádio Paiaiá FM, agricultores relataram a situação em que passa o Projeto de Irrigação de Ponto Novo, causada pelo longo período de estiagem. Segundo o agricultor Agenor, hoje os moradores do Projeto de Irrigação passam por dificuldades no abastecimento humano, que vem sendo feito por carros pipas, segundo o mesmo, faltou pulso de governantes em prol do Projeto. “Foi retirada também a água potável, a água do consumo humano aqui no Projeto de Irrigação hoje a gente está recebendo de carro pipa”. “Faltou pulso dos governantes para impedir de ser retirada a água do consumo humano desses nordestinos sofredores”. Afirmou o agricultor. O longo período de estiagem atinge a economia do município, dificultando a sobrevivência dos agricultores, como o sr. Osmar, que já planeja sair do município para buscar melhores condições de trabalho. “Já estava reunido ontem com meus irmãos para a gente sair fora daqui, porque não tem como nós sobrevivermos aqui, a sobrevivência daqui está difícil e cada dia que passa está pior”. Afirmou. Web Interativa

Agricultor Osmar

PF recupera R$ 480 mil que suposto operador de Aécio escondeu antes da Patmos

Foto: Reprodução/ Pragmatismo Político

No relatório da Polícia Federal sobre a Operação Patmos, um agente da PF informa ter identificado o local de esconderijo e recuperado R$ 480 mil que Mendherson Souza Lima - assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG) - teria buscado em São Paulo na data de 03/05/2017, como parte do valor de propina acertado entre o senador Aécio Neves e o empresário Joesley Batista. Isso foi possível graças ao próprio Mendherson, que, após ser preso, levou a PF ao local onde admitiu ter escondido o valor após a notícia sobre repasses indevidos da ordem de R$ 2 milhões na noite da quarta-feira 17 de maio, na véspera da operação. Segundo a investigação da Procuradoria-Geral da República, Mendherson teria atuado na operação para receber o dinheiro em nome de Aécio Neves junto com o primo do senador afastado, Frederico Pacheco de Medeiros. Após ser preso, na quinta-feira, 18, Mendherson disse que escondeu o dinheiro na casa da sogra por ter ficado assustado com as citações ao seu nome em meio às notícias de um suposto pagamento de propina a Aécio Neves. A informação de que o senador Aécio Neves teria pedido e recebido R$ 2 milhões indevidos da JBS surgiu na noite da véspera, 17. "Segundo as informações repassadas pelo investigado e presenciadas pelas testemunhas presentes no endereço da busca citado, na noite do dia 17/05/2017, após o alvo ter presenciado a divulgação de notícias dando conta de delações da empresa JBS e de um suposto esquema de pagamento de propinas ao Senador da República Aécio Neves, verificando-se inclusive citações ao seu nome, assustado com as mesmas, o alvo decidiu por pegar parte do dinheiro que estava guardado em sua residência para levá-lo para um local que não estivesse relacionado ao seu nome", diz o relatório. "Assim, deslocou-se com duas sacolas contendo aproximadamente 480 mil reais e levou até a cidade de Nova Lima, pedindo para sua sogra que ali reside (Rua Paraná), de nome Azelina Rosa Ribeiro, para guardá-los em local seguro, sem que a mesma soubesse do seu conteúdo", continua o relatório. Após ser preso, Mendherson tomou a iniciativa de ir junto com os agentes da Polícia Federal até o endereço que indicou. "No local, com Auto de Consentimento de Busca da Moradora, a equipe policial adentrou o recinto juntamente com o investigado, logrando a localização das duas sacolas com diversos pacotes com cédulas de 100 reais, escondida num dos quartos da residência", disse o policial. As sacolas e as cédulas foram arrecadadas no local. Segundo a PF, foram "devidamente conferidas e apreendidas em sede policial". A Operação Patmos foi deflagrada no dia 18 de maio no curso da investigação contra o presidente Temer, o senador Aécio Neves e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures. por Breno Pires | Estadão Conteúdo

Paraná: Procuradoria-Geral de Justiça investiga se MP protegeu um contador na Operação Publicano


Denúncia foi feita pelo auditor Orlando Aranda, condenado a 14 anos e três meses de prisão na primeira sentença da operação.


Procuradoria-Geral de Justiça do Paraná abriu um procedimento para investigar se Ministério Público (MP) protegeu um contador na Operação Publicano, que investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual do Paraná. A denúncia foi feita pelo auditor Orlando Aranda, condenado a 14 anos e três meses de prisão na primeira sentença da operação. Ele recorreu e aguarda nova decisão em liberdade. Aranda estava sendo ouvido no fim da manhã desta quinta-feira (25), na sede da Fundação Escola do Ministério Público do Estado do Paraná (Fempar), em Londrina, no norte do Paraná. Ele chegou acompanhado da mulher e do advogado. Segundo o auditor, o MP teria ignorado fatos importantes nas investigações da Publicano e deixou de investigar o contador Paulo Caetano de Souza. O auditor disse também que o contador teria sido beneficiado por manter negócios com o promotor Renato de Lima Castro. O contador e promotor são sócios em empreendimentos imobiliários, conforme o cadastro da Receita Federal. Além de Aranda, também serão ouvidos o ex-auditor e principal delator da Publicano, Luiz Antônio de Souza e os promotores da operação.


O outro lado - O promotor Renato de Lima Castro confirma participação no empreendimento que tem vários investidores, mas negou privilégios ao contador. O contador Paulo Caetano de Souza negou ter intermediado propina entre auditores fiscais e empresas denunciadas na Operação Publicano. Ele também confirmou ter investimentos imobiliários em que o promotor Renato de Lima Castro tem participação e afirmou, ainda, que seu nome está sendo usado para atacar o promotor. De acordo com o contador, advogados já analisam o caso para eventuais medidas judiciais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers