domingo, 7 de maio de 2017

Ex-atriz mirim, Cecilia Dassi, virou mulherão e psicóloga e diz que papel na Globo é “vida passada”


Há 20 anos, Cecilia Dassi apontava para o estrelato com a personagem Sandrinha de Por Amor (1997). Na novela que estreia no canal Viva na próxima segunda (8), ela ganhou muita repercussão como uma menina inteligente e carinhosa. O trabalho catapultou a carreira de Cecilia, mas ao atingir a maioridade ela decidiu mudar de rumo: estudou psicologia, abriu um consultório e abandonou a carreira de atriz. Realizada na nova profissão, a jovem de 27 anos tem até dificuldades de lembrar de seu começo na TV. Foto: TV Globo “Eu acho super engraçado [me rever na TV], é muito doido porque eu não lembro. A minha sensação é de que foi numa vida passada. Eu não olho e penso ‘Ah, lembro desse dia’. Se fosse uma coisa que me contassem e eu não estivesse vendo, nem acreitaria que tinha feito”, revela. Sandrinha foi a terceira personagem de Cecilia na TV, após participações em A Comédia da Vida Privada (1996) e Você Decide (1996). Na novela, a menina tinha falas e entonação de voz considerados até maduros e sério demais para sua idade. Na trama, ela enfrentava o drama do alcoolismo de seu pai, interpretado por Paulo José. “O núcleo familiar tinha uma parceria muito grande, a família era muito unida, estava tentando superar [o problema do alcoolismo]. Nós como atores também eramos assim, chegávamos mais cedo para ensaiar as cenas juntos, eu gostava muito, era muito bem tratada. Tenho poucas lembranças dessa época, eu era novinha e tenho poucas lembranças da infância. Mas as memórias que eu tenho são bastante afetivas, de que eu era muito acolhida”, lembra. Após o sucesso de Sandrinha, Cecília Dassi participou de 11 produções da Globo, entre 1999 e 2010. Se destacou em O Beijo do Vampiro (2002), Alma Gêmea (2005) e Sete Pecados (2007).



Mudança de planos 

Até que, no fim do ensino médio, Cecilia não queria parar de estudar e começou a pensar no que gostaria de fazer na faculdade. “Queria outras possibilidades, pensar numa profissão que fosse uma alternativa. Porque eu sentia uma instabilidade nesse universo. A gente fica muito dependente de nos chamarem para trabalhar na Globo, não tem um sistema no Brasil em que a gente consiga viver de teatro de uma forma segura, tranquila. E isso sempre foi uma coisa que me incomodava, não sou daquelas super desligadas e desapegadas que fala ‘Qualquer coisa vou vender minha miçanga na praia’. Sempre quis ter minha segurança, família, sempre foram valores importantes para mim”, explica.

Cecilia escolheu o curso de psicologia por achar que a ajudaria na interpretação e no conhecimento humano. Esse caminho não teve volta. A atriz permaneceu como contratada da Globo durante quatro anos sem participar de produção alguma na emissora. Quando o acordo chegou ao fim, nenhuma das partes se interessou em renovar. “Fui me apaixonando pela faculdade e meu plano B foi virando cada vez mais meu plano A. Comecei a não me engajar mais, não correr atrás de trabalho [na TV]. Eu já tinha começado a atuar como psicóloga, mas tinha receio, porque se me chamassem para algum trabalho na Globo eu teria que ir e deixar na mão o meu trabalho, a relação terapêutica, o vínculo. Aí não dá. Me sentia meio presa, no limbo. Não estava trabalhando de fato, mas não podia concretizar minha nova carreira. Quando o contrato acabou eu pude ver que [psicologia] era o que eu queria mesmo”, afirma.



Referência na área Desde 2014, Cecilia se dedica exclusivamente a seus pacientes, atuando como psicóloga e coach. Ela se tornou até referência na área para pessoas que também querem mudar de profissão e não sabem por onde começar. “Muita gente me procura por sentir essa identificação. Tenho um discurso pé no chão, não digo que [a mudança de carreira] é fácil, que é só mandar o chefe tomar banho. Mas se você se organizar, quiser mesmo e estiver emocionalmente preparado para lidar, é possível. Talvez essa minha abordagem do assunto toque as pessoas”, diz. Até hoje, no entanto, Cecilia é reconhecida nas ruas e lembrada pelo público por seus papéis nas novelas. Ela confessa sentir uma certa “preguiça” ao ser questionada sobre sua ausência da TV. “Por exemplo, a pessoa entra no meu site, vê que eu sou psicóloga, vê várias publicações e fala: ‘Como eu faço para entrar na Globo, me ajuda, me indica pra alguém’. Ou ‘por que você não faz mais novela, você devia fazer, deve ganhar mais dinheiro, lá você fica mais bonita’. Mas não me irrita, eu entendo que as pessoas têm um deslumbramento com esse universo, então não entra na cabeça delas a possibilidade de eu ter feito essa escolha”, conta. “Acham que eu não devia estar mais conseguindo papel nenhum, que estava sem opção, tem quem diga que eu sofri um trauma muito grande e decidi não mais ser atriz, e não foi nada disso. Foi bastante pensado, estudado, avaliado internamente”, esclarece. A ex-atriz continua na mídia, mas em telas menores: ela lançou neste ano um canal no YouTube em que fala sobre sua área de especialização na psicologia, o desenvolvimento humano. Em maio, Cecilia realizará mais um sonho na carreira: apresentará uma palestra na plataforma internacional de apresentações inspiracionais TedX. “Estou muito engajada, sempre quis participar. Assim que isso passar, tenho outro projeto que espero que se concretize até o final deste ano. Minha missão de vida é alcançar o maior número de pessoas com autoconhecimento, com auto-realização, autoaperfeiçoamento, melhoria da qualidade de vida. Estou montando essa metodologia para criar algo que eu possa fazer online e atingir muito mais pessoas do que eu consigo hoje individualmente”, sonha. (Notícias da TV)

Ações da CIPE CAATINGA: Abaré Bahia - Policia encontra roça de maconha


Contra o tráfico de drogas na Bahia


No dia 05 por volta das 06:00, Policiais Militares da CIPE CAATINGA, após várias denúncias, que na localidade de Salinas, município de Abaré/BA, vários plantios da maconha estava sendo cultivadas, localidade essa onde não havia a presença da polícia, onde uma guarnição dessa especializada deslocou até a supracitada localidade e com a utilização de um barco, conseguiram localizar, erradicar e incinerar 06 plantios de maconha, totalizando 5.700 pés da erva, com média de altura de 1,70 m, sendo encontrado ainda no local, duas sementeiras e 1,700 kg gramas de semente de maconha. Todo material foi apresentado na Delegacia de Polícia Civil de Abaré/BA, inclusive uma amostra da erva para perícia, ao Delegado Bel. Marco Antônio Alves Pereira.


Coronel Notícias Policiais

Polêmica: Em palestras, Bolsonaro defende exploração de minérios em terras indígenas

  terras indígenas
Foto: Reprodução / YouTube

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato à Presidência em 2018, tem destinado parte de suas palestras pelo país para criticar demarcações de terras indígenas e defender a exploração de recursos nesses locais, como o nióbio. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, ele tem defendido que o país deveria ter maior controle sobre as reservas do metal e que há jazidas gigantes ainda inexploradas sobre terras demarcadas em Roraima. O mineral é considerado estratégico: se misturado ao ferro, cria um tipo de superliga mais resistente que o aço comum, além de mais leve, que tem aplicações em indústrias – incluindo a fabricação de foguetes e reatores nucleares. "O nióbio vale mais do que o ouro", declarou Bolsonaro no início de abril, em uma palestra no Clube Hebraica do Rio de Janeiro. O parlamentar se enganou, no entanto: uma tonelada de nióbio, já transformado em liga, custa cerca de US$ 15 mil. Já o quilo do ouro, na cotação de sexta-feira (21), valia US$ 41,3 mil – logo, a tonelada custa US$ 4,13 milhões. Bolsonaro também afirma que a maior reserva de nióbio está sob terras indígenas e apresenta, durante as palestras, um mapa feito pelos militares brasileiros nos anos 1970, listando os principais recursos naturais sob o solo brasileiro. "Dentro de Roraima vocês acham tudo o que existe na tabela periódica. De A a Z. Nióbio, ouro, bauxita, diamante, tudo", apontou, em menção à reserva indígena Raposa Serra do Sol, que é alvo de disputas.

CONFLITO INDÍGENA INCENTIVA POR FUNAI/GOV. PT - Eduardo Bolsonaro



Jair Bolsonaro explica a cobiça internacional sobre as terras indígenas


O PSDB está baratinado com a ascensão de Jair Bolsonaro


PSDB x Bolsonaro


O PSDB está baratinado com a ascensão de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) nas pesquisas presidenciais.
O impacto da Lava Jato sobre os velhos nomes do partido dividiu os tucanos sobre quais providências devem ser tomadas.
A partir de longa reportagem da Folha, O Antagonista organiza as opções ventiladas:
a) Defender que o PSDB reconheça "erros", em especial no financiamento de campanhas, com uma defesa enfática do combate à corrupção, numa estratégia de "retorno às origens éticas e ideológicas", nas palavras de FHC.
b) Defender seus líderes e a política, e resgatar sua história, como a implantação do Plano Real, para se apresentar como uma "opção viável" para a superação de crises políticas e econômicas.
Há cerca de um mês, pesquisas internas levadas ao comando da sigla mostraram que os eleitores passaram a buscar alguém que "tenha lado" e "fale o que pensa", como o prefeito paulistano João Doria, que apareceu no telão como exemplo.
Segundo o jornal, "a possível candidatura de Doria à Presidência em 2018 ainda é motivo de controvérsia na cúpula do PSDB, especialmente nos entornos de Aécio e Alckmin, mas ganhou terreno em grupos que identificam a apresentação de um nome 'novo' como a melhor alternativa para o partido superar sua crise de imagem".
Atualmente, Bolsonaro chega a ficar em primeiro lugar na preferência de setores do eleitorado – mais escolarizados e que declaram renda mais alta – outrora alinhados com o PSDB.
O único tucano testado pelo Datafolha que recupera parte desse espaço é Doria, cujo potencial para "herdar" eleitores de Bolsonaro caso vá ao segundo turno contra Lula é maior que o de Aécio.
Enquanto isso, Aécio continua apostando, claro, na política tradicional:
"É natural que muitos eleitores flertem com outras candidaturas. No momento do voto definitivo, eles vão votar no caminho seguro, do aprofundamento das reformas e da experiência na gestão, que é o PSDB." (O Antagonista)

URGENTE - SERGIO MORO USA AS REDES SOCIAIS PARA PEDIR QUE O POVO NÃO VÁ PRA CURITIBA DIA 10

"Adotando" mortadelas para o interrogatório de Lula




O recado do juiz Sérgio Moro para apoiadores da Lava Jato não irem ao interrogatório de Lula no dia 10 foi publicado poucas horas após uma reportagem do Estadão ter informado que o PT estima em 50 mil o número de pessoas que "invadirão" Curitiba.
Não fica claro pela matéria se o número inclui não petistas, muito menos se deve confiar em estimativas de militantes, mas Moro preferiu diminuir as chances de um confronto sangrento entre rivais.
Uma funcionária pública ouvida pelo jornal disse que 40 ônibus seguirão de outros Estados e que alguns curitibanos abriram suas casas para os apoiadores de Lula que precisavam de lugar para ficar. “Eu vou receber quatro pessoas”, afirmou ela.
Além de montar barracas na Av. Paulista a fim de colher inscrições para a caravana, petistas promoveram crowdfunding na internet, venda de rifas para arrecadar fundos e até a campanha “Adotando um Militante”, em que um apoiador pagava a ida do outro que não podia.
E mais:
"Na véspera do depoimento de Lula, o petista e seus apoiadores vão participar de um culto ecumênico na Catedral Metropolitana de Curitiba. A expectativa é de que quase toda a direção nacional do PT, além de dezenas de deputados, senadores e ex-ministros dos governos petistas, devem ir para a capital paranaense em solidariedade ao ex-presidente.
No dia do depoimento, o PT vai promover debates políticos e atos culturais na frente da Justiça Federal do Paraná caso Sérgio Moro não aceite transmitir ao vivo o depoimento. Se houver a transmissão, os petistas vão instalar um telão no local."
Haja mortadela! (O Antagonista)



Lava Jato em perigo: Delações da Odebrecht tem inconsistências; ministro do STF questiona provas

Foto: Reprodução / YouTube


A Lava Jato vai morrer no Supremo?


Os depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht e materiais entregues por eles ao Ministério Público Federal (MPF) a título de prova contêm erros factuais, contradições e inconsistências. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), sem querer se identificar, confirmou que esses defeitos fragilizam as acusações e que algumas delações deverão ser reanalisadas em órgãos judiciais colegiados. "Não se pode provar com probabilidades. Prova tem que ser cabal", disse o ministro. Segundo Folha, as acusações contra os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) exemplificariam as incongruências. A petição contra o último tem base no relato de quatro delatores que apresentaram três versões diferentes. Um deles citou caixa dois sem apresentar documentação para comprovar a acusação. Já no caso de Alckmin, os números mencionados pelos delatores contradizem seus depoimentos e não coincidem com as planilhas. Outro exemplo é o caso dos petistas Aloizio Mercadante e Edinho Silva, referente à campanha ao governo de SP em 2010. As delações têm números divergentes e também entram em contradições. Um dos delatores, Benedicto Junior, ex-presidente da construtora Odebrecht, disse não ter feito contato com Mercadante, então candidato pelo PT, e que o pedido de doação via caixa dois chegou até ele por intermédio de Carlos Armando Paschoal, então diretor da Odebrecht em São Paulo. Paschoal teria sido procurado por Silva, como tesoureiro da campanha. Silva porém não exercia essa função que não exerceu: era coordenador político.

Sexo e violência: Mulher mata o ex-amante na Bahia após ele ameaçar vazar vídeos íntimos na internet


Regivânia Moreira de Souza foi presa, na manhã desta sexta-feira (5), por investigadores da Delegacia Territorial (DT), de Rio Real, em cumprimento a um mandado de prisão pelo assassinato do amante Antônio Roque Silva de Oliveira, morto queimado. O casal se relacionava há dois anos. O titular de Rio Real, delegado Jobson Lucas Marques, apurou que Regivânia e a vítima mantinham um relacionamento extraconjugal e, quando a relação acabou, Antônio não aceitou. Passou, então, a fazer ameaças de que divulgaria vídeos íntimos do casal nas redes sociais, caso não reatasse o caso, o que teria levado a mulher a atacá-lo. A mulher chegou a ser interrogada sobre o crime na DT/Rio Real, mas negou que soubesse alguma coisa, mudando a versão quando foi confrontada com as provas colhidas durante a investigação. “Regivânia ligou para a vítima marcando um encontro minutos antes do crime”, explicou o delegado. Ela será encaminhada ao sistema prisional. Fonte: Portal de Notícias

Tubarão ataca atriz pornô durante mergulho nos Estados Unidos; veja vídeo


Tubarão esfomeado


Uma atriz pornô foi atacada por um tubarão durante um mergulho na costa dos Estados Unidos. Molly Cavalli sofreu uma mordida no tornozelo enquanto estava dentro de uma gaiola no mar para a gravação de um vídeo de uma empresa de entretenimento adulto. As imagens foram divulgadas esta semana no YouTube. Cavalli foi prontamente retirada da água após ser atacada pelo tubarão no litoral do estado da Flórida. Ela recebeu socorro e precisou levar ao vinte pontos para suturar a ferida. Assista abaixo às imagens:






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers