segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Violência na Bahia: Amigas são mortas dentro de casa e bandido deixa bilhete: 'Não quis pagar'

  'Não quis pagar'
(Foto: São Gonçalo Agora)

Barbaridade e covardia em São Gonçalo dos Campos - feminicídio


Duas mulheres foram achadas mortas na manhã deste domingo (15) dentro de uma casa em São Gonçalo dos Campos, a 134 km de Salvador. Daniela Dias Santana, 30 anos, e Evilyn Machado Vasconcelos de Souza, 27, foram achadas na casa da primeira, por volta de 7h, por familiares. A Polícia Civil da cidade acredita que o crime tenha acontecido ontem, quando as duas amigas voltaram de uma desfile de um bloco cultural na cidade. Preso ao corpo de Daniela, foi deixado um bilhete que teria sido deixado pelos criminosos, ligando as mortes a uma possível dívida. "A família eu peço desculpas, mas ela não quis pagar meu dinheiro, mais tem para festa (sic)", dizia o texto. A polícia investiga se Daniela tinha, de fato, alguma dívida ou se o bilhete foi deixado para confundir. As amigas foram mortas com golpes de arma branca no pescoço - a arma do crime ainda não foi localizada. A porta da casa, que foi deixada aberta, não tinha sinais de arrombamento. O caso é investigado pela delegacia da cidade - o CORREIO tentou contato com o delegado Eugênio Rocha, mas não conseguiu localizá-lo.

Bilhete deixado perto de corpo de vítima  (Foto: São Gonçalo Agora)
Da Redação - correio24horas 

Perigo no trânsito: Jovem sofre acidente de moto na BA-130, entre Mairi e Baixa Grande

  entre Mairi e Baixa Grande
Jovem sofre acidente de moto na BA-130, entre Mairi e Baixa Grande

Moto é transporte de risco


Na noite deste domingo, 15 de janeiro de 2017, aconteceu um acidente na BA-130, trecho que liga Mairi a Baixa Grande. De acordo com informações de populares, o jovem Alefe Matos, ficou ferido após cair de moto em uma curva. O jovem foi socorrido e encaminhado para o hospital de Mairi, depois foi transferido para o Hospital Clériston Andrade, em Feira de Santana. Alefe mora na cidade de Baixa Grande. Ele é filho de Zé do Bicho. Aguardem mais informações... Da redação do Blog Agmar Rios

Batida fatal! Queimadas: motociclista morre após bater de frente com caminhão na BA-120

Alex morava em São Paulo e estava em Queimadas desde o último sábado (14), visitando familiares na cidade | Foto: Arquivo Pessoal

Queimadas Bahia


O motociclista Alex da Silva Santos, de 22 anos, morreu no fim da manhã desta segunda-feira (16), em Queimadas, após bater de frente com um caminhão na rodovia BA-120, próximo ao povoado de Ponto Novo. De acordo com informações de testemunhas, a vítima chegou a ser socorrida para o hospital da cidade com diversas fraturas pelo corpo, mas não resistiu e morreu logo após dar entrada na unidade. Ainda de acordo com relatos de testemunhas, o acidente teria ocorrido após o motociclista tentar desviar de um buraco na rodovia. A moto cruzou a pista e bateu de frente com o outro veículo. O condutor do caminhão evadiu-se do local. Alex morava em São Paulo e estava em Queimadas desde o último sábado (14), visitando familiares na cidade. Notícias de Santaluz

Acidente aéreo: Pelo menos 37 pessoas morrem em queda de avião próximo ao aeroporto do Quirguistão

 próximo ao aeroporto do Quirguistão
Acidente aéreo: Pelo menos 37 pessoas morrem em queda de avião próximo ao aeroporto do Quirguistão

Tragédia


A queda de um avião de carga turco, próximo ao aeroporto de Manas, no Quirguistão, deixou pelo menos 37 pessoas mortas nesta segunda-feira (16). A maioria das vítimas eram moradores do vilarejo onde caiu o Boeing 747 ao tentar aterrissar sob forte neblina. De acordo com a Reuters, a administração do aeroporto informou que o avião faria uma escala em Manas, perto da capital Bishkek, na rota de Hong Kong para Istambul. Depois da queda, a aeronave ainda avançou no solo por algumas centenas de metros pelo vilarejo, se reduzindo a pedaços e danificando cerca de 15 construções. Autoridades identificaram o Boeing 747-400 como sendo da Turkish Airlines, mas a operadora ACT Airlines disse ser proprietária da aeronave.

Crise nos poderes: Juristas protocolam pedido no STF para seguimento de impeachment de Gilmar Mendes

  impeachment de Gilmar Mendes
Crise nos poderes: Juristas protocolam pedido no STF para seguimento de impeachment de Gilmar Mendes

Ministros na mira


Os juristas Celso Antônio Bandeira de Mello, Fábio Konder Comparato, Sérgio Sérvulo da Cunha e Álvaro Augusto Ribeiro da Costa; a ativista de direitos humanos Eny Raymundo Moreira; e o ex-deputado e ex-presidente do PSB, Roberto Amaral, protocolaram na sexta-feira (13), um mandado de segurança contra o ato do presidente do Senado, Renan Calheiros, que negou o seguimento do pedido de impeachment contra o ministro Gilmar Mendes e determinou seu arquivamento imediato. O pedido foi apresentado no Supremo Tribunal Federal (STF). Em setembro de 2016, o grupo abriu um pedido de impeachment do ministro por violar a Lei Orgânica da Magistratura (Loman). Na época, a petição alegava que o ministro “teria atuado em ofensa aos princípios da impessoalidade e da celeridade processual, quando do julgamento de processos sob a tutela daquela Corte”. Também disse que o ministro violou o regimento interno do STF, e por isso, deveria ser destituído do cargo. O grupo colacionou matérias jornalísticas, anotações, transcrições de votos e apresentou um rol de testemunhas, para decretação da perda do cargo de ministro do Supremo. O pedido foi arquivado pelo senador Renan Calheiros, presidente do Senado, “pela completa ausência de conjunto probatório carreado nos autos” e não vislumbrar a “incompatibilidade de seus atos com a honra ou decoro de suas funções”. Para Renan, a função de processar e julgar o ministro caberia ao Poder Judiciário e não ao Senado. O grupo afirma que o ato de Renan foi ilegal e pediu ao Supremo a anulação do arquivamento do pedido de impeachment. Para os juristas, o senador não poderia decidir isoladamente sobre o caso, sem submeter a petição à apreciação da mesa diretora do Senado. Ainda foi levantada a suspeição de Renan para decidir o caso, por ser réu no STF e que faltou fundamentação do senador para arquivar o pedido. Entre os pedidos do grupo, estão a determinação de prosseguimento do processo de impecheament de Gilmar Mendes no Senado, e que, caso não concorde, o STF ao menos reconheça o impedimento do senador no caso e determine o envio do pedido ao seu substituto legal. O Mandado de Segurança pede ainda que, caso não seja adotada essa alternativa, o Supremo Tribunal ordene a Renan que profira outra decisão devidamente fundamentada. O grupo quer o impeachment de Mendes por envolvimento com o PSDB, falta de decoro do ministro que já atinge outros colegas de toga e de Corte, manifestar se contrariamente contra direitos trabalhistas e programas sociais de transferência de renda, entre outras polêmicas. Gilmar Mendes foi nomeado para o STF pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, depois de exercer o cargo de advogado-geral da União.

Lava Jato: Tribunal mantém ou aumenta penas de 70% dos condenados por Sérgio Moro na Lava Jato

 condenados por Sérgio Moro na Lava Jato

Condenados na Lava jato


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em 70% dos casos analisados envolvendo réus da Operação Lava Jato, manteve ou endureceu as penas dos acusados. Cabe ao tribunal julgar os recursos das sentenças do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, em Curitiba, no Paraná. Das 83 pessoas condenadas pelo juiz, o TRF analisou apelações de 23 condenados. Dos 23, 8 tiveram as penas mantidas, e outros 8, endurecidas (70%). Outros 4 condenados acabaram absolvidos pelo tribunal (17%), enquanto 3 (13%) tiveram suas penas diminuídas. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, foram excluídos habeas corpus e decisões sobre prisões preventivas no levantamento de dados. A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) afirma que o índice é a confirmação da “isenção e capacidade” do juiz Sérgio Moro. Já advogados de réus apontam para um Judiciário receoso de contrariar a opinião pública, que tende a clamar por mais punições, mesmo que à revelia das leis. Em dezembro de 2016, o tribunal negou o pedido do ex-presidente Lula para afastar o desembargador João Pedro Gebran Neto da relatoria da operação, por ser amigo de Moro, o que poderia contaminar sua imparcialidade ao analisar os recursos. Nos recursos, o tribunal, na maior parte das vezes, endureceu as penas dos condenados de Moro, a pedido do Ministério Público Federal (MPF). Entre as penas elevadas estão as do doleiro Alberto Youssef (de 16 anos, 11 meses e 10 dias para 26 anos e 10 meses) e do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro (de 16 anos e 4 meses para 26 anos e 7 meses).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers