terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Gostosa! Isis Valverde sensualiza de biquíni apoiada em árvore e recebe elogios

  biquíni apoiada em árvore e recebe elogios
Gostosa! Isis Valverde sensualiza de biquíni apoiada em árvore e recebe elogios

Atriz curtiu um dia na praia em Marau, na Bahia.



Isis Valverde resolveu sensualizar no Instagram nesta terça-feira, 3. A gata postou uma foto em que aparece apoiada em uma árvore que nasceu nas areias da praia. De biquíni, a atriz exibiu sua ótima forma enquanto curtia a natureza. A foto, claro, arrancou diversos suspiros de fãs. "Maravilhosa", "Linda", "Diva" e "Deusa" foram alguns dos comentários. Na legenda, a atriz preferiu compartilhar uma poesia. Vale lembrar que não é de hoje que Isis posta fotos em um cenário paradisíaco. Em outra ocasião, ela compartilhou um clique a beira de um lago em Maraú, na Bahia, onde ainda está hospedada.

Isis Valverde, de biquíni, mostra boa forma em foto com Thaíssa Carvalho

Atrizes estão em Maraú, na Bahia. ‘Boas vibrações. Feliz 2017!’, escreveu Thaíssa em seu perfil em uma rede social.


Thaíssa Carvalho em Maraú, na Bahia

Isis Valverde tira onda em fotos de biquininho branco

Atriz aparece exibindo sua boa forma em praia em Bali, na Indonésia, em imagens divulgadas




Aulas na rede estadual de ensino começam dia 6 de fevereiro, diz SEC

 começam dia 6 de fevereiro, diz SEC
Foto: Ascom Secretaria da Educação

O ano letivo na rede estadual de ensino vai começar no dia 6 de fevereiro, de acordo com calendário divulgado nesta terça-feira (3) pela Secretaria Estadual de Educação (SEC). Ainda segundo a pasta, serão cumpridos os 200 dias letivos e o fim do ano letivo está previsto para o dia 13 de dezembro. O calendário fixa, ainda, o recesso para o Carnaval entre os dias 24 de fevereiro e 1º de março, o recesso da Semana Santa, de 13 a 16 de abril, e o recesso junino, de 22 a 25 de junho.

Extrema Direita: Jair Bolsonaro conversa com Silas Malafaia para apoiar sua candidatura a presidente em 2018

  candidatura a presidente em 2018
Foto: Montagem / Bahia Notícias

Conservadorismo

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou que já iniciou conversas com o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, para selar uma aliança nas eleições presidenciais de 2018. De acordo com o deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), o líder religioso está inclinado a apoiar a candidatura de Bolsonaro. "Fiz uma amizade com o Malafaia de dez anos para cá. Acho um cara excepcional. O segmento evangélico está de olho na presidência em 2018 e fico feliz em estar no radar deles”, afirmou Bolsonaro, segundo o Extra. Bolsonaro acredita que o apoio dos evangélicos pode dar “musculatura” à sua candidatura, mas disse que não aceitará a aliança em troca de cargos. “Essa política de ‘toma lá, dá cá’ não tem vez comigo. Não abro mão, por exemplo, de um general quatro estrelas para a Defesa e de alguém conservador para a Educação e Cultura”, completou o deputado. Segundo Sóstenes, ligado a Malafaia, o pastor, no entanto, ainda não decidiu se apoia Bolsonaro ou o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que decide até março se será candidato.

A loira Giovanna Ewbank Mulher de Gagliasso aumenta o bumbum

  Gagliasso aumenta o bumbum
A loira Giovanna Ewbank Mulher de Gagliasso aumenta o bumbum

Ainda mais gostosa


Giovanna Ewbank, mulher de Bruno Gagliasso, publicou a mesma foto que ele, mas com um detalhezinho a mais... A imagem era dela, com o marido famoso e a filha do casal. Mas na foto que Giovanna publicou, o bumbum dela está maior do que a original (que foi postada por Gagliasso). Ela usou photoshop para ficar mais popozuda. Veja:






Violência na Bahia: AGÊNCIA CORRESPONDENTE “CAIXA AQUI” É ASSALTADA EM PONTO NOVO

Ilustrativa

Insegurança

No inicio da tarde desta terça-feira (03) a agência correspondente do “Caixa Aqui” de Ponto Novo foi assaltada. Segundo informações, por volta das 13h dois elementos em uma moto de dados não anotados participaram da ação. Enquanto um realizava o assalto, outro permaneceu do lado de fora da agência dando cobertura. Os meliantes levaram certa quantia em dinheiro, tomando destino ignorado. A Polícia Militar realizou rondas a fim de capturar os autores da ação, mas sem êxito. Redação: Web Interativa 

Tragédia! Identificada as 4 vítimas de colisão entre veículos na BR 324 em Riachão do Jacuípe.

  BR 324 em Riachão do Jacuípe.
Tragédia! Identificada as 4 vítimas de colisão entre veículos na BR 324 em Riachão do Jacuípe.

Acidente fatal

A bebê Ana Clara, de 3 meses, que foi socorrida após um grave acidente na BR-324, não resistiu aos ferimentos e morreu logo após dar entrada em um hospital de Riachão do Jacuípe. A tragédia envolveu um veículo Uno com placa de Ubá (MG), e uma carreta com placa de Candeias (BA), conduzida por Alan Santos Conceição, que saiu ileso do acidente, o mesmo contou a imprensa que saiu de Salvador com destino a Petrolina-PE, a família do Uno viajava no sentido contrario, quando por volta das 13h30 desta segunda-feira, 2, próximo ao povoado de Vila Aparecida entre os municípios de Nova Fátima e Riachão do Jacuípe o grave acidente aconteceu. De acordo com a PRF, quatro pessoas estavam a bordo do Uno quando ocorreu a colisão frontal com a carreta. Três pessoas, entre elas uma criança de 1 ano, morrem na hora. O motorista da carreta, identificado como Alan Santos Conceição, saiu ileso do acidente. Os quatro mortos no acidente foram identificados como: Rosendo da Costa Sobral, 66 anos, que conduzia o veículo, Roberta Aparecida Eloi Ribeiro, 20 anos, Mateus Eloi Ribeiro dos Santos, 1 ano, e Ana Clara da Costa Ribeiro dos Santos, de apenas 3 meses. Os corpos ficaram presos às ferragens.



Devido a força do impacto, o Uno ficou destruído. Ainda segundo a PRF, para retirar os corpos do veículo, seria necessário acionar o Corpo de Bombeiros da cidade de Feira de Santana. A carreta tombou na pista e o querosene que era transportado no tanque vazou. Um guincho foi levado pela PRF para retirar os veículos do local, mas por conta do risco de incêndio, os policiais tiveram que acionar um técnico para avaliar como seria feita a remoção. Fonte: Jacobina Notícias

Segurança da Bahia: Região Nordeste da Bahia recebe Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe/Nordeste)

  Policiamento Especializado (Cipe/Nordeste)
Foto: Divulgação/ SSP

Combate ao crime

Cerca de 50 municípios baianos foram beneficiados com a instalação da Companhia Independente de Policiamento Especializado Nordeste (Cipe/Nordeste). Comandada pelo major Wellington Morais dos Santos, e com sede provisória na cidade de Esplanada, a nova companhia foi implantada na última sexta-feira (27), e completa a lista de 11 unidades baianas especializadas em policiamento rural. Dentre as demandas da nova unidade, estão o controle de divisas, a prevenção e repressão a roubos de cargas, patrulhamento rural, erradicação de plantio de drogas, combate ao crime organizado, controle de tumulto e distúrbios civis e intervenção em estabelecimento prisional em situação de crise. A Cipe/Nordeste dispõe de 86 policiais e atenderá os municípios de Adustina, Antas, Araci, Banzaê, Barrocas, Biritinga, Candeal, Capela do Alto Alegre, Cícero Dantas, Cipó, Conceição do Coité, Coronel João Sá, Euclides da Cunha, Fátima, Gavião, Heliópolis, Ichu, Itapicuru, Jeremoabo, Lamarão, Nova Fátima, Nova Soure, Novo Triunfo, Olindina, Paripiranga, Pé de Serra, Pedro Alexandre, Pintadas, Quijingue, Retirolândia, Riachão do Jacuípe, Ribeira do Amparo, Ribeira do Pombal, Santa Bárbara, Santa Brígida, Santaluz, Santanópolis, São Domingos, Sátiro Dias, Serrinha, Serra Preta, Sítio do Quinto, Tanquinho, Teofilândia, Tucano e Valente. Redação Notícias de Santaluz

Governo Temer endurece regra para repasse de verba para obras

  de verba para obras
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Controle dos gastos

O governo modificou regras para transferência de recursos da União por meio de convênios e contratos de repasse com o objetivo de acelerar a execução de obras e retomar projetos parados. Haverá a redução dos valores adiantados pela União no início de cada convênio, o que vai impedir que recursos fiquem parados nas contas de Estados e municípios e aumentar a disponibilidade para a União. Também foi facilitada a fiscalização de obras de menor porte, de valores abaixo de R$ 750 mil, e aumentado o controle via internet. As novas regras foram publicadas no Diário Oficial da União de ontem. O valor que a União repassa antes do início da obras caiu de 50% para 20% e o adiantamento só será feito após a homologação da licitação. Em 2015, o valor parado nas contas dos entes por mais de 180 dias chegou a R$ 4 bilhões. "Havia um empoçamento de recursos da União em contas de Estados e municípios. Muitas vezes a obra tinha problemas de projeto ou faltava licenciamento ambiental e o dinheiro ficava parado até que isso fosse resolvido", disse ao Estado o diretor de Programas do Ministério do Planejamento, Rodrigo Cota. "A medida vai aliviar a pressão sobre o Tesouro Nacional e não faltarão recursos para os entes." Os novos contratos vão prever ainda que o dinheiro será devolvido à União se ficar parado por mais de 180 dias na conta e que Estados e municípios não poderão se apropriar de juros incidentes sobre o montante. "São incentivos para que o dinheiro não fique parado." Outra mudança é que obras de engenharia não poderão ser feitas via convênio, apenas por contrato de repasse, em que há o intermédio de um banco oficial. Isso aumentará a fiscalização dessas obras, já que a instituição financeira será responsável pela fiscalização dos convênios. A ideia é que bancos como a Caixa Econômica Federal, por exemplo, têm maior capilaridade do que os ministérios setoriais e estrutura para fiscalizar a execução dos contratos. Com relação às mudanças na fiscalização, será exigida a publicação de documentos em sistemas de controle informatizados, o que facilitará o acesso a órgãos de controles e à população em geral. As fiscalizações presenciais em projetos abaixo de R$ 750 mil, porém, serão reduzidas de até 13 visitas para duas. Além disso, nesses casos, os recursos poderão ser pagos antes dessa fiscalização. Hoje, a cada etapa, há uma visita do fiscal e só depois é feito o pagamento o que, de acordo com o Planejamento, faz com que muitas obras sejam paralisadas à espera da fiscalização. Cota explica que a União irá verificar ao final da obra se os requisitos foram cumpridos e poderá suspender pagamentos. Ele nega que a mudança irá enfraquecer a fiscalização e abrir espaço para fraudes. "Não vai afrouxar a fiscalização, vai racionalizar. Teremos outra sistemática de fiscalização que vai dar o mesmo resultado, com menos custos para o governo e melhor resultado para a sociedade", acrescentou. Ele ressalta que a portaria foi assinada pelo Ministério da Transparência e passou pelo crivo do Tribunal de Contas da União (TCU). Serão proibidos ainda em convênios dessa faixa aditivos contratuais por falhas de projetos, o que vai demandar maior qualidade desses instrumentos e coibir fraudes. Só serão feitos aditivos se ficar provado que o problema encontrado não poderia ser previsto na fase de projeto. Para projetos de maior valor, foi instituída a visita de fiscais antes do início da obra e mantida a exigência de fiscalização antes de cada etapa de pagamento. Também está vedada a realização de convênios para pagar servidores públicos e despesas com publicidade e também utilizar, ainda que em caráter emergencial, os recursos para finalidade diversa da estabelecida no instrumento firmado. Está prevista ainda a obrigação de que o celebrante do convênio comprove regularidade no pagamento de tributos e contribuições previdenciárias e também quanto a contribuições ao FGTS. por Lorenna Rodrigues | Estadão Conteúdo

Governador do Amazonas José Melo (Pros), foi acusado de pedir apoio a facção para se reeleger

  pedir apoio a facção para se reeleger
Foto: Blog do Pavulo

Uma das facções envolvidas no massacre que deixou 60 mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM), tinha envolvimento com o governador do estado, José Melo (Pros). Durante a campanha eleitoral em 2014, vieram à tona gravações em áudio de conversas entre o então subsecretário de Justiça do Amazonas, major Carliomar Barros Brandão, e o traficante José Roberto Fernandes Barbosa, um dos líderes da facção. Os diálogos foram divulgados, à época, pela revista Veja e pelo jornal Folha de S. Paulo. Na gravação, o traficante promete até cem mil votos a Melo, pedindo em contrapartida que ele não “venha a prejudicar” o grupo. O subsecretário afirma em resposta que “ninguém vai mexer” com os integrantes. "Vamos apoiar o Melo, entendeu... a cadeia... vamos votar minha família toda, lá da rua, entendeu? [...] A gente quer dar um alô, que ele não venha prejudicar nós [sic]... e nem mexer com nós [sic]", diz Barbosa. O subsecretário responde que "ele não vai, não [prejudicar]", dizia o traficante. “A mensagem que ele (governador) mandou pra vocês, agradeceu o apoio e que ninguém vai mexer com vocês, não”, respondeu o major Carliomar. O traficante quer garantir que os membros da facção não sejam mortos. “As detenções por porte de drogas, porém, poderiam continuar sendo realizadas", diz Barbosa, sem prometer, no entanto, o fim das fugas. "Nós não tem [sic] como estar impedindo isso aí, se der toca, os caras vão fugir". A intenção do traficante é conseguir os votos dando ordens aos parentes dos detentos. "O que que a gente quer do Melo? Que a polícia faça o trabalho dela, se prender um de nós com droga, vai prender, a gente vai respeitar. A gente não quer que fique matando, porque se matar e a gente começar a matar também. Os caras pensa que nós não tem, nós tem tudo, nós tem dinheiro, nós tem arma, tem tudo (...) [sic]. O recado que eu quero que o senhor leve pra ele... de nós, é que nós vamos apoiar ele [sic]", afirma. O major devolve afirmando que o que “ele quer é a paz na cadeia”.

Crise na segurança: Presídios estão sob controle de facções criminosas, avalia presidente da OAB

 avalia presidente da OAB
Foto: Eugênio Novaes / CFOAB

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, afirmou nesta segunda-feira (2) que os presídios estão sob controle de facções criminosas e o Estado precisa recuperar seu poder sobre as unidades prisionais. A avaliação foi feita após rebelião que deixou cerca de 60 mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus. "O Estado brasileiro precisa cumprir sua obrigação de resolver esse problema com a rapidez e a urgência necessárias, sem paliativos que somente mascaram a questão", afirmou o avogado, por meio de nota. Lamachia observou ainda que as notícias sobre a rebelião confirmam que a brutalidade no sistema penitenciário brasileiro "virou rotina" e não há "ineditismo" no caso, já visto no Maranhão, Pernambuco e Roraima. O presidente da OAB ainda destacou que a situação pode piorar, depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a execução antecipada da pena antes do trânsito em julgado. O advogado propôs maior celeridade processual por parte dos tribunais superiores e a "prioridade absoluta" no julgamento de habeas corpus e recursos, para evitar o prolongamento de prisões consideradas injustas.

Trânsito na Bahia: Quase 80% das multas nas estradas baianas foram emitidas por excesso de velocidade

  excesso de velocidade
Foto: Ulgo Oliveira / Seinfra

Arrecadação com multas


O excesso de velocidade foi o motivo de 79% das multas emitidas nas estradas baianas em 2016. O levantamento foi feito pela Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), segundo a qual a imprudência lidera o ranking das estatísticas e a causadora de 81,4% dos acidentes nas rodovias estaduais. "Entre as infrações mais cometidas estão excesso de velocidade, desobediência à sinalização, ultrapassagens em locais proibidos, e ingestão de álcool. Problemas nas estradas respondem a 3,9% das ocorrências", acrescentou Anselmo Calixto, diretor de Operação e Tráfego da Superintendência de Infraestritira de Transporte (SIT). O capitão Jorge Lopes, do Batalhão de Polícia Rodoviária da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), os motoristas não praticam a direção preventiva porque aproveitam a estrada para testar a velocidade do seu veículo. "Mesmo com as campanhas educativas, eles ainda não se sensibilizaram para as práticas que causam acidentes de trânsito", explicou. Em 2015, a maior causa de aplicação de multas foi a falta de documentação dos condutores.

Crise na segurança: Após menção a suspeita de ligação com facção, juiz do Amazonas se defende

  juiz do Amazonas se defende
Foto: Reprodução / Facebook

Sistema prisional

O juiz Luís Carlos Honório de Valois Coelho, que foi chamado para atuar na negociação da rebelião que deixou 60 mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM), divulgou um texto em sua página do Facebook que responde a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, que cita a suspeita de que ele seria ligado à facção Família do Norte. A facção participou do motim que começou neste domingo (1º). Coelho afirma que o veículo fez uma “covardia”. “Ontem, depois de passar doze horas na rebelião mais sangrenta da história do Brasil, um repórter, dito correspondente desse jornal me liga. Eu digo que estou cansado, sem dormir a noite toda, mas paro para atendê-lo por vinte minutos. Algumas horas depois sai à matéria: ‘Juiz chamado para negociar rebelião é suspeito de ligação com facção no Amazonas’”, relata. Na matéria do Estadão, não há declarações do magistrado sobre a apuração, mas foi publicada uma resposta de seu advogado sobre a investigação. “Por meio de seu advogado, o juiz Luis Carlos Valois afirmou que ‘não possui qualquer envolvimento com organizações criminosas. Os presos solicitam sua presença tão somente por ele ser o juiz da vara de execuções penais e, por lei, ser o juiz competente para analisar questões referentes ao sistema prisional’”, diz a reportagem. Coelho alega, no entanto, que o jornal publicou a matéria sem as falas da entrevista que concedeu. “O Estadão é grande, eu sou pequeno, um simples funcionário público do norte do país. Eles não publicaram nada do que falei, nem, primeiramente, o fato de que eu não era o único a negociar a rebelião. Desenterraram uma investigação contra mim da Polícia Federal em que esta escuta advogados falando o meu nome para presos, sem qualquer prova de conduta minha. Detalhe, todos os presos das escutas estão presos, nunca soltei ninguém. Mas insinuaram que isso tinha algo a ver com o fato de eu ter ido falar com os presos na rebelião, que sequer eram os mesmos da escuta”, argumenta. Segundo o juiz, ele não estava designado para o plantão no dia da negociação e que foi ao local por existirem reféns no local. “Mas isso eles não falaram também. Fui chamado pelo próprio Secretario de Segurança do Amazonas que, não por coincidência, é um dos delegados da Polícia Federal mais respeitados do Estado”. No final do relato, Coelho afirma estar sofrendo ameaças. “Tudo que fiz, negociei e ajudei a salvar dez funcionários do Estado, reféns dos presos, fiz sob orientação dos policiais. Tudo isso falei para o tal Estadão, mas foi indiferente para eles. Agora recebo ameaças de morte da suposta outra facção, por causa da matéria covardemente escrita, sem sequer citar o que falei. Covardes. Estadão covarde, para quem não basta 'bandido morto', juiz morto também é indiferente”, acusa.

Política e religião: Prefeito de Guanambi que 'entregou' chave da cidade a Deus e gerou polêmica com o MP

Foto: Empório do Direito

Fé ou fanatismo e intolerância? Procurador protocola representação após decreto do prefeito de Guanambi


O decreto do prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães (PSB), que entrega as chaves da cidade a Deus e cancela “pactos” com “entidades espirituais”  gerou repercussão e levou ao procurador de Justiça Rômulo de Andrade Moreira a protocolar uma representação de inconstitucionalidade à Procuradoria Geral de Justiça, questionando o ato. Segundo informações do Ministério Público do Estado (MP-BA), não há prazo para a análise do documento, que foi entregue nesta terça-feira (3). No decreto em questão, o prefeito ainda declara que “todos os principados, potestades, governadores deste mundo tenebroso, e as forças espirituais do mal, nesta cidade, estarão sujeitas ao senhor Jesus Cristo de Nazaré".

Foto: Divulgação/AL-BA


O apelo religioso também mobilizou a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB), correligionária do prefeito. “Aberração política, crime de preconceito, intolerância religiosa e violação a Constituição Federal e ao Estado Laico, é tudo que está contido no primeiro decreto do prefeito de Guanambi (PSB), copiando modelos semelhantes de outras cidades. Guanambi e sua população merecem respeito. Espero a revogação deste ato absurdo que fere bandeiras históricas do nosso partido”, afirmou, em sua página oficial no Facebook.



O prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães (PSB), editou um decreto inusitado no início de seu mandato. No Diário Oficial desta segunda-feira (2), ele determinou a "entrega" da chave do município a Deus. "Declaro que esta cidade pertence a Deus e que todos os setores da prefeitura municipal estarão sobre a cobertura do altíssimo", justifica. "Declaro ainda que todos os principados, potestades, governadores deste mundo tenebroso, e as forças espirituais do mal, nesta cidade, estarão sujeitas ao senhor Jesus Cristo de Nazaré", completa. "Principados e Potestades" são uma referência bíblica aos anjos do mau, ou demônios. Ignorando o Estado Laico brasileiro, o prefeito "cancelou" ainda, "em nome de Jesus, todos os pactos realizados com qualquer outro Deus ou entidades espirituais". "A minha palavra é irrevogável", conclui.

Foto: Reprodução / Blog do Marcelo

Após críticas, prefeito de Guanambi se desculpa por 'entregar' chave a Deus


Após as críticas, o prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães (PSB), resolveu se desculpar pelo decreto publicado nessa segunda (2), em que entregava a chave da cidade à Deus. No texto publicado no Diário Oficial do Município, o gestor cancelou, “em nome de Jesus”, todos os pactos realizados com qualquer outro Deus ou entidades espirituais (leia mais aqui). Já nesta terça (2), o Ministério Público protocolou uma representação contra o prefeito e pediu a revogação imediata do decreto. Diante dessa repercussão negativa, Magalhães se defendeu, sob alegação de que não tinha a intenção de gerar conflito ou debate de cunho religioso, muito menos discussão relacionada à laicidade vigente no país. "Foi feita uma correlação, pois a entrega simbólica da chave da cidade, que é feita ao prefeito em dias de posse em muitas cidades, não interfere em nenhuma das ordenanças legais, muito menos nas ações aos cidadãos desta terra", diz nota de esclarecimento divulgada pela prefeitura nesta manhã. No texto, a prefeitura ressalta que o decreto foi inspirado em trecho da constituição do país, que cita o nome de Deus. A nota exalta também o trabalho de Magalhães, que já atuou como vereador e vice-prefeito, que "sempre se portou e relacionou com todos os credos de forma respeitosa, harmoniosa e agregadora, como homem público". "Se algum cidadão ou religião se sentiram ofendidos pela mensagem, o prefeito, de forma humilde e sincera, pede as mais sinceras escusas, reafirmando a sua obrigação de governar para todos, primando pelo diálogo inter-religioso, sem distinção de qualquer natureza", declara, em nome do prefeito.

Contra corrupção: Operação Lava Jato faz acordos de colaboração com 37 países

  colaboração com 37 países
Foto: Reprodução / TV Jurerê

Corruptos estão ferrados

Em quase três anos de investigações, o Ministério Público Federal já acumula 159 pedidos de cooperação com autoridades estrangeiras para instruir ações penais relacionadas à Operação Lava Jato. A lista, de 37 países, inclui desde Estados Unidos e Suíça, que no mês passado divulgaram publicamente suas investigações, como Itália, Dinamarca, Suécia e Noruega, que têm obras e negócios sob suspeita e já solicitaram provas ao Brasil. Até novembro, 17 países haviam pedido documentos para órgãos de investigação brasileiros, em 26 acordos de colaboração. Por outro lado, foram 32 países que receberam pedidos dos procuradores brasileiros - alguns deles estão nas duas listas. A maior parte das solicitações tem como objetivo a obtenção de documentos. São pedidos enviados a países como Cingapura, onde estão alguns dos estaleiros contratados pela Petrobrás, e Gibraltar, onde está um importante porto de reparos navais. Ou Liechtenstein, Ilhas Cayman e Uruguai, países usados para abertura de contas secretas e movimentações de dinheiro para lavagem. "Os pedidos de cooperação internacional permitiram seguir as pegadas do dinheiro ao redor do mundo e foram uma das principais características do novo modelo de investigação inaugurado pela Lava Jato", afirmou o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa de Curitiba. Além da capital paranaense, os pedidos de colaboração partiram de investigadores em Brasília e no Rio. Os acordos jurídicos - feitos com base em tratados e convenções internacionais - servem para autoridades de um país requisitarem a outros países oitivas de pessoas (testemunhas ou investigadas), para produzir e compartilhar provas documentais, para quebrar sigilos bancário, telefônico e de e-mails, para bloqueios de bens ou valores e para prisões e extradições. Na China, por exemplo, país que tradicionalmente não mantinha acordos com o Brasil, a Lava Jato buscou dados sobre as contas usadas pelo doleiro Alberto Youssef para lavar dinheiro, em especial, da Odebrecht, via outro doleiro preso durante as investigações, Leonardo Meireles. "A mancha de países com cooperação com o Brasil, nos grandes casos, sempre se centrou no Uruguai, ou no Caribe, Estados Unidos e Suíça. E hoje se vê, sobretudo na Lava Jato, que essa mancha no mapa transitou rumo aos países da Ásia, em operações que tiveram repercussão no caso", afirmou o secretário de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República, Vladimir Aras. Há ainda os países que abriram investigações, mas não buscaram colaboração com o Brasil. E os que ainda devem ser citados oficialmente nas delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht, como México e El Salvador, que poderão buscar cooperação para procedimentos internos. O caso Banestado, que registrou evasão de mais de R$ 20 bilhões em divisas, na década de 1990, é até hoje o caso com maior volume de acordos jurídicos internacionais do Brasil: 180, quase todos com os Estados Unidos. "A previsão é de que a Lava Jato ultrapasse esse número de acordos", afirmou Aras. Em 2017, novas apurações, dentro e fora do Brasil, em negócios do setor de óleo e gás e obras de outros setores, como os de transportes e energia, devem envolver mais empresas, em especial multinacionais, para o foco da Lava Jato, avaliam os procuradores. Outro aspecto abordado pelos investigadores é de que a atenção internacional no caso brasileiro e o maior volume de investigações pelo mundo devem ajudar autoridades locais a enfrentar o que eles chamam de "contraofensiva" de políticos para frear a operação. por Ricardo Brandt e Fábio Serapião | Estadão Conteúdo

Acidente grave; Dez pessoas morrem depois que ônibus cai da ribanceira em estrada no Paraná

  cai da ribanceira em estrada no Paraná
Foto: PRF

Dez pessoas morreram em um acidente com ônibus na BR-158, na região de Campo Mourão, no Paraná, na madrugada desta terça-feira (3). O veículo saiu da pista e tombou numa ribanceira, quando fazia o trajeto entre Foz do Iguaçu e Maringá. Quarenta e uma pessoas estavam no ônibus no momento do acidente. Os sobreviventes sofreram ferimentos leves a graves e foram encaminhados para hospitais de Campo Mourão. Os corpos das vítimas fatais foram encaminhados papra o Instituto Médico Legal (IML) do município, de acordo com a Folha. O veículo é propriedade da empresa Expresso Mangá, segundo a qual todos auxílio às vítimas está sendo prestado. O motorista do ônibus estava na empresa desde agosto de 2014.

Vinícius Bonemer, filho de Fátima Bernardes e Bonner sofre grave acidente de carro; estado de saúde não foi divulgado

  estado de saúde não foi divulgado
Foto: Reprodução / Ego

O jovem Vinícius Bonemer, 19 anos, filho dos jornalistas Fátima Bernardes e William Bonner, sofreu um acidente de carro na manhã desta terça-feira (3), na rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), entre Búzios e Cabo Frio, na Região do Lagos, enquanto voltava de viagem do Réveillon. De acordo com informações do Jornal O Dia, o carro que ele estava bateu em um caminhão e um ônibus no trevo de Búzios. Ainda segundo a publicação, Vinícius estava acompanhado por um amigo, identificado como Giuliano Costa, e foram conduzidos à Unidade de Pronto- Atendimento de Tamoios, distrito de Cabo Frio. O estado de saúde das vítimas não foi divulgado e, conforme a nota, a apresentadora Fátima Bernardes já estaria na cidade acompanhando os desdobramentos. Fátima e William são pais dos trigêmeos Beatriz, Laura e Vinícius.


Curvas! Tatiele Polyana diz que bumbum é natural: 'Acham que coloquei hidrogel'

 'Acham que coloquei hidrogel'
Tatiele Polyana no Paparazzo em 2014 e no ensaio atual, que vai ao ar ainda em janeiro: mais 10 quilos e quadril 7cm maior (Foto: Alexandre Campbell / Paparazzo | Roberto Teixeira / Paparazzo)

Ex-BBB, que passou de 98 para 105cm de quadril após ganhar 10 quilos, posou pela segunda vez para o Paparazzo. Veja antes e depois e compare.


Com 1,78m muito bem distribuídos em 75kg, Tatiele Polyana está apaixonada com suas curvas atuais. A ex-BBB ganhou 10 quilos e mostrou o resultado em um ensaio para o Paparazzo - o segundo, já que ela havia posado para o site ao deixar o "BBB 14". "Engraçado que sempre fui muito magra, mas minha bunda sempre foi arrebitada. Nunca fui reta. Quanodo era magrinha, tinha o bumbum redondinho e acho que por isso foi fácil conseguir aumentá-lo. As pessoas acham que coloquei hidrogel, metacril, um monte de coisa. Claro que não! A verdade é que treino glúteo duas vezes por semana e minha bunda cresceu. Aqui tem muito suplemento, alimentação saudável (à base de carne e arroz) e treino", diz ela, que passou de 98cm para 105cm de quadril e está com apenas 62cm de cintura. Mas ela admite que nem só de coisas boas vive uma musa fitness. Poly, como é chamada pelos amigos, conta que acabou tendo espinhas após a nova rotina de treinamento. "Como tenho que tomar muita suplementação e proteína acabei ficando com muita espinha, mas faz parte". Vaidosa, ela não sai de casa sem maquiagem e é adepta de tratamentos estéticos para ajudar a moldar (ainda mais) o corpo escultural. "Sou vaidosa, faço massagem em clínica de estética, limpeza de pele, vou a salão de beleza. E gosto muito de maquiagem. Só não cuido muito do meu cabelo, por causa da correria do dia dia. No dia a dia também não sou de usar salto alto, de andar arrumada. Faço o estilo mais molecona, me produzo mais só para sair".


















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers