quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Perigo nas redes sociais: Mulher cai em golpe em grupo do WhatsApp e perde R$ 900; saiba detalhes



Um golpe em um grupo de mães no WhatsApp causou prejuízo de R$ 900 a uma servidora pública de 47 anos, que mora em Vitória, no Espírito Santo.
Achando que estava colaborando com uma mãe do colega do filho, ela fez um depósito bancário após receber um pedido de ajuda. No entanto, o celular da amiga da servidora, uma médica de 45 anos que também mora em Vitória, havia sido clonado por criminosos que se passaram por ela nas mensagens. A mensagem enviada em nome da médica no grupo questionava se alguém teria conta no Banco do Brasil e poderia fazer uma transferência online. A servidora pública respondeu que poderia ajudar e, então, o criminoso enviou uma mensagem privada.
A mensagem informava que a médica precisava do dinheiro porque o limite de transação para aquele dia havia estourado, e, em seguida, passou o número da conta que deveria receber o depósito.
“A pessoa disse que tinha excedido o limite para transferência no dia e que faltava enviar R$ 900. Como eu vi a foto da minha amiga, o número dela, nossos filhos estudam na mesma escola, não desconfiei e transferi o valor. Só quis ajudar. A pessoa pediu meus dados e disse que me devolveria o dinheiro meia-noite”, contou a servidora pública.
Aplicativo conectado em dois celulares
Apesar de ter estranhado quando o celular ficou sem serviço, a médica explicou que só percebeu que também poderia ter caído em um golpe quando chegou em casa e o aparelho se conectou ao Wi-Fi. Uma mensagem do Whatsapp avisou que o aplicativo poderia estar conectado em um outro aparelho. “Uma colega passou por esse golpe há uns 10 dias. Quando vi a mensagem no aplicativo comecei a ligar do celular do meu filho para as pessoas que eu tinha na minha agenda e avisava que poderia ser um golpe, pedia para me tirarem dos grupos que eu fazia parte”, contou.
Mesmo a médica tentando avisar ao máximo de pessoas que conseguia, infelizmente os criminosos, que se passavam pela vítima, conseguiram se aproveitar dos contatos dela. Além da servidora pública — citada no início da reportagem — outras duas pessoas acharam que estavam fazendo um favor e caíram no golpe. Cada uma transferiu R$ 900 para as contas bancárias dos criminosos.
“Estou morrendo de medo”
A médica nunca imaginou que passaria por uma situação assim e disse que ainda está se recuperando do susto. “Eu estou muito sem graça e com muito medo. A sensação é de que você foi invadida dentro da sua própria casa. Foi uma coisa que eu nunca pensei que aconteceria”. A vítima contou que o ex-marido dela também foi alvo dos criminosos na mesma noite. Segundo ela, o celular dele também ficou fora do ar e os suspeitos agiram da mesma maneira com ele. “Com meu ex-marido foram duas vítimas, uma transferiu R$ 900 e outra R$ 1.500. Como minha linha está no nome do meu ex-marido, pedi para que ele bloqueasse o número, mas isso não foi suficiente porque não bloqueava o Whatsapp. Então fomos na loja da operadora e cancelei meu chip”, explicou.
Investigação
A titular da Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Eletrônicos (DRCE), Cláudia Dematté, informou que este tipo de golpe tem acontecido em todo Brasil. Ela explicou que os criminosos habilitam o número da vítima em outro chip que está em poder deles. Ao baixarem o Whatsapp, eles passam a ter acesso a todas as informações e contatos da conta da vítima. Questionada sobre como os bandidos têm acesso aos números das pessoas, a delegada explicou que existem várias linhas de investigação. “Desde burlar o sistema das operadoras até caso de envolvimento de funcionários e ex-funcionários das operadoras”, informou.
Como se prevenir
A orientação da polícia para se prevenir deste golpe é fazer a atualização de segurança do Whatsapp, chamada de verificação em duas etapas. O passo a passo é o seguinte:
• Abra o app do WhatsApp;
• Acesse as “Configurações” do app;
• Toque na opção “Conta”;
• Toque na opção “Verificação em duas etapas” e clique no botão “Ativar”.
• Informe uma senha numérica de 6 dígitos, e repita a digitação.
• É possível informar uma conta de e-mail para a recuperação da senha, mas é uma etapa opcional. Mas se não for cadastrada uma conta de e-mail para recuperação e a senha for perdida, a conta do WhatsApp não poderá ser cadastrada novamente e ela será perdida definitivamente.

A polícia explicou que ao fazer esse procedimento, mesmo que alguém clone o chip, a pessoa não terá acesso a essa senha. Quem for vítima deste golpe deve procurar a DRCE para fazer o registro de ocorrência. “Alguns casos já estão em investigação pela delegacia, mas não passaremos mais detalhes para não prejudicar as investigações”, afirmou Dematté. (*Com informações do Gazeta Online)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers