quinta-feira, 6 de julho de 2017

Mulher traída obriga amante do marido a circular nua e de cabelos raspados pelas ruas; veja vídeo


A Polícia Civil investiga uma mulher suspeita de sequestrar uma jovem de 18 anos e obrigá-la a circular pelas ruas de Barretos (SP) dentro de um carro, completamente nua, com a cabeça e a sobrancelha raspadas. O motivo da humilhação seria traição: a vítima estava se relacionando com o marido da suspeita, que está preso no Centro de Detenção Provisória de Taiúva (SP). O delegado Marcos Eduardo Marques disse que a mulher foi intimada a prestar depoimento, mas não compareceu. Procurada, a suspeita disse por telefone que não queria comentar o assunto. A reportagem esteve na casa dela, mas os vizinhos afirmaram que ela se mudou do endereço. A família da vítima diz que todos estão chocados com o caso. Assista:


Vídeo 

 O caso ocorreu em junho, mas ganhou repercussão depois que o vídeo foi publicado nas redes sociais. Nas imagens, a mulher dirige o automóvel, enquanto a jovem está nua no banco do passageiro, com as mãos sobre as partes íntimas e os seios. “Ainda bem que você não quer ele. Ele pode ficar com qualquer uma, menos com você, porque você é tirada da favela. Apesar de que ele também, né?! Dois tirados da favela não dá nada”, diz a suspeita ao volante. Em seguida, a mulher estaciona e pede para uma amiga, que está no banco traseiro gravando o vídeo com um celular, descer do veículo e comprar um aparelho de barbear descartável. A suspeita raspa a sobrancelha da vítima, que já está com a cabeça toda raspada. O caso é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher de Barretos. O delegado afirmou que o inquérito apura os crimes de sequestro e cárcere privado na forma qualificada, uma vez que as atitudes da suspeita causaram sofrimento físico e moral à vítima. O vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Belisário Rosa Leite Neto, assistiu às cenas compartilhadas na internet e disse que a mulher pode responder também pelos crimes de lesão corporal grave e tortura, dependendo do entendimento da Justiça. Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB, a advogada Fernanda Morato da Silva Pereira disse que não pode tomar as medidas judiciais cabíveis, sem que a família da jovem faça uma denúncia à entidade. “Em uma trajetória de luta da mulher, em que ela vem querendo se empoderar, ver uma mulher com o cabelo raspado e sendo humilhada publicamente, nua, me deixa, particularmente, frustrada”, desabafou. // EPTV.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers