domingo, 16 de abril de 2017

Delações no STF: A aula de jornalismo de Emílio Odebrecht


As empreiteiras da Carta Capital


A Carta Capital recebeu dinheiro de outras empreiteiras, sempre a pedido de Lula.
O procurador perguntou quais eram essas empresas.
Emílio Odebrecht respondeu:
“OAS, Andrade Gutierrez, Camargo Correa, o próprio BTG”.
O procurador perguntou quanto cada empresa pagou.
Emílio Odebrecht respondeu:
"Dois, três milhões... de pelo menos uns três, quatro ou cinco doadores".
A Carta Capital, portanto, pode ter recebido 15 milhões de reais das empreiteiras do petrolão.
Boa Páscoa, Mino Carta.


Emílio Odebrecht deu uma aula de jornalismo.
Depois de dizer que repassou 8 milhões de reais à Carta Capital, ele explicou como sua empreiteira comprava a imprensa.
O procurador perguntou:
"Havia aqui um intuito de ter um órgão de imprensa a favor desses doadores que não publicassem matérias contrárias?"
Ele respondeu:
“Olhe, nossas ajudas à imprensa sem dúvida nenhuma nós colocávamos sempre o seguinte... Meu filho, você tem que defender também as coisas... Eu não quero que esteja tolhido de dar informações, mas não explore as informações, são coisas diferentes. Essa sempre foi uma conversa que eu tive institucional com todos. Porque as ajudas sempre existiram para todos os veículos. Olhe... O único que eu não me lembro se houve nenhuma ajuda direta foi a Globo”.
O procurador perguntou de que maneira a Odebrecht pagava a imprensa.
Ele respondeu:
“Por exemplo, fazer uma divulgação do balanço que nós não fazíamos normalmente num determinado veículo, a legislação não obriga você fazer a todos. Então, eu posso ampliar para mais um. São uma receita adicional que entra em compensação ao dinheiro que foi emprestado.
Isso daí sempre existiu e naturalmente o que eu colocava era o seguinte: 'Não quero que vocês deixem de dar notícia, só não quero que vocês fiquem explorando a notícia'. São coisas completamente diferentes”.


Fonte o Antagonista
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers